Operação Influencer. Os almoços, os jantares, os ministros e os suspeitos do costume a abrir a carteira - TVI

Operação Influencer. Os almoços, os jantares, os ministros e os suspeitos do costume a abrir a carteira

João Galamba na comissão parlamentar de inquérito à TAP (Miguel A. Lopes/Lusa)

Mas houve outros que o Ministério Público não conseguiu identificar. Tudo descrito no despacho de indiciação a que a CNN Portugal teve acesso. Quem esteve nessas refeições? O que se falou? O que ganhou a Start Campus com tudo isto?

Relacionados

Terá sido um investimento pequeno comparado com os milhões dos projetos em causa (cerca de 3,5 mil milhões), na região de Sines. Não foram só reuniões formais, conversas telefónicas, trocas de mensagens pelo WhastApp ou encontros informais. À mesa das refeições, que podiam ser apenas manobras de charme, foram abordados problemas que culminaram em soluções. A investigação conseguiu identificar seis almoços e jantares, mas outros perderam-se pelo caminho. No total, Afonso Salema, CEO da Start Campus e arguido na “Operação Influencer”, pagou, com o cartão da empresa 2.231,97 euros. 

1 - Almoço a 21 de fevereiro de 2022

O primeiro almoço identificado no despacho de indiciação a que a CNN Portugal teve acesso, aconteceu a 21 de fevereiro de 2022. Nesse encontro estiveram presentes Afonso Salema, Rui Oliveira Neves, responsáveis máximos da Start Campus, e João Galamba, na altura secretário de Estado do Ambiente e da Energia. Todos constituídos arguidos no âmbito da “Operação Influencer”.

Os três almoçaram no “Bairro Alto Hotel Restaurante”, em Lisboa. O valor final da conta ficou nos 100,28 euros (Cerca de 33,46€ por pessoa) e foi pago por Afonso Salema com o cartão de crédito associado à conta da empresa. 

2 - Almoço a 23 fevereiro 2022

Em fevereiro, há registo de mais um almoço. Desta vez, estiveram sentados à mesa - novamente - Afonso Salema e Rui Oliveira Neves, acompanhados por Nuno Lacasta, presidente da Associação Portuguesa do Ambiente (APA), também arguido no processo, e ainda por uma vogal do Conselho Diretivo da APA.

Juntaram-se no restaurante “O Fogo”, em Lisboa, e Afonso Salema voltou a assumir o pagamento da conta de 108,50 euros (27,125€ por pessoa).

3 - Jantar a 19 junho de 2022

Neste jantar, que se vai revelar o mais dispendioso de todos os identificados pelo Ministério Público, estiveram cinco pessoas: Afonso Salema, Rui Oliveira Neves, João Galamba, Nuno Lacasta e um quinto indivíduo identificado como “Michael”.

Ficou marcado para as “20:30 no JNcQUOI Club [em Lisboa] no domingo”, confirmou Afonso Salema por SMS a João Galamba. Por esta refeição, Afonso Salema despendeu, novamente com o cartão da empresa, 1.301,79 euros (260,8358 por pessoa).

Apesar do elevado valor do jantar, Afonso Salema e Rui Oliveira Neves comentaram entre si, e com terceiros, que o encontro tinha sido “top”. E que, tanto João Galamba, como Nuno Lacasta, tinham aberto o jogo sobre a pressão que estavam a sofrer para entregar “renováveis”.

4 - Almoço a 28 setembro de 2022

Este encontro de setembro aconteceu em Sines, local onde a Start Campus queria fazer nascer um megacentro de dados e instalar uma central fotovoltaica. Estiveram presentes três pessoas: Afonso Salema, Rui Oliveira Neves e, mais uma vez, João Galamba. Mas não estavam sozinhos. Todavia, os investigadores não conseguiram identificar as restantes pessoas, nem quantas eram ao certo.

Também aqui o ritual se cumpriu. A fatura final, no valor de 564,45 euros, foi assumida pela Start Campus, pela mão de Afonso Salema.

Segundo explicam os investigadores no despacho indiciário, João Galamba terá prometido neste almoço aprovar o que fosse necessário para o reforço da capacidade de injeção da rede elétrica de Sines.

As refeições seguintes descritas no despacho indiciário envolvem Duarte Cordeiro, ministro do Ambiente, que não é arguido no processo. 

5 - Jantar a 8 junho 2022

O primeiro jantar que conta com a presença de Duarte Cordeiro acontece no restaurante “O Madeirense”, em Lisboa. O valor final da fatura indica que Afonso Salema pagou 156,95 euros, mas os investigadores assumem não ter certeza do número de refeições nesse jantar. Deixando a sensação de que poderiam, eventualmente, estar presentes mais pessoas.

Mas numa conversa, no dia seguinte, com uma terceira pessoa, Afonso Salema conta que jantou com o ministro e que foi para os copos com ele, acrescentando que já tinha percebido todos as “taquicardias” com as Zonas Especiais de Conservação (ZEC).

6 - Jantar a 10 de janeiro de 2023

No último jantar com Duarte Cordeiro estiveram Afonso Salema e Rui Oliveira Neves. Apesar de indicarem o dia do encontro, o Ministério Público não identifica o local, nem o valor da refeição. Assumindo, ainda, que houve mais encontros em datas não apuradas.

Olhando para as descrições de todos estes almoços e jantares, e considerando os intervenientes que estiveram presentes, os investimentos de Sines terão sido o principal motivo da sua realização.

Recorde-se que a Start Campus queria erguer um “data center” em Sines, que poderia vir a representar um investimento de 3,5 mil milhões de euros. E, ainda, uma central fotovoltaica para garantir a energia do centro. Todavia, algumas questões ambientais surgiram no decorrer do processo e revelaram-se um entrave à ideia.

Continue a ler esta notícia

Relacionados