Mistério resolvido: encontrada carta de Cristóvão Colombo que foi roubada. Mistério por resolver: não se sabe como foi parar ao homem que a tinha - TVI

Mistério resolvido: encontrada carta de Cristóvão Colombo que foi roubada. Mistério por resolver: não se sabe como foi parar ao homem que a tinha

  • CNN
  • Christy Choi, CNN
  • 22 jul 2023, 13:00
Cristóvão  Colombo

Desaparecida há décadas, uma carta de Cristóvão Colombo roubada no século XV regressa a Itália

por Christy Choi, CNN

Os Estados Unidos devolveram a Itália uma carta roubada de Cristóvão Colombo, datada do século XV, anunciou na quarta-feira o Serviço de Imigração e Alfândegas dos EUA (ICE).

Escrita em latim, é uma das cerca de 30 primeiras edições sobreviventes da carta do explorador anunciando as suas descobertas no continente americano ao rei de Espanha Fernando e à rainha Isabel em 1493. Os monarcas financiaram a viagem de Colombo ao Novo Mundo.

Pensa-se que se trata de uma versão roubada da Biblioteca Nazionale Marciana em Veneza, Itália, na década de 1980. Foi encontrada na posse de um colecionador privado nos Estados Unidos.

Ao anunciar a descoberta em 2020, o ICE e o Ministério Público do Delaware disseram que o colecionador tinha adquirido a carta, sem suspeitar, a um negociante de livros raros em 2003. As autoridades não divulgaram mais pormenores sobre a forma como a carta foi roubada ou chegou às mãos do comerciante.

Os exemplares da carta são extremamente raros e muito apreciados por colecionadores e historiadores.

A versão devolvida a Itália esta semana é conhecida como uma edição Plannck I. O seu nome vem de Stephan Plannck, um importante impressor que publicou duas edições da carta há mais de 500 anos.

Quando o documento foi recuperado pela primeira vez em 2020, o gabinete do procurador dos EUA disse que estava avaliado em mais de 1,2 milhões de euros.

"Esta é a quarta edição original desta carta roubada nas últimas décadas e não poderíamos estar mais felizes em devolvê-la", diz Patrick J. Lechleitner, vice-diretor da Imigração e Alfândega dos EUA, em comunicado.

Outras cópias roubadas incluem uma que as autoridades dos EUA devolveram a uma biblioteca na Cidade do Vaticano em 2018 e outra devolvida à Biblioteca da Catalunha em Espanha.

Em 2016, os EUA devolveram uma cópia de oito páginas que tinha sido retirada de uma biblioteca em Florença, Itália, e doada à Biblioteca do Congresso dos EUA.

A devolução da carta a Itália faz parte de esforços mais amplos dos Estados Unidos para repatriar objectos roubados.

O ICE afirma ter devolvido mais de 20.000 objetos a mais de 40 países e instituições desde 2007. Estes incluem arte saqueada pelos nazis, sarcófagos egípcios, pinturas francesas, esculturas italianas, fósseis de dinossauros da Mongólia e da China e até restos humanos.

Continue a ler esta notícia