O deslizamento de terras, que atingiu um prédio em Leiria, obrigou ao realojamento de 11 pessoas, por precaução, informou a agência Lusa o vereador da Proteção Civil do Município.

Luís Lopes adiantou que se verificou o "desprendimento de uma rocha na encosta do cemitério" em consequência "da acumulação destes dias de precipitação", o que contribui para alguma instabilidade nas vertentes.

"Por precaução, pedimos aos moradores para saírem, já que de noite não havia condições para reavaliarmos as condições de segurança do edifício", acrescentou, ao referir que a maioria das 11 pessoas foram realojadas em casas de familiares.

Segundo o vereador, a preocupação foi "colocar as pessoas em segurança" e esta terça-feira técnicos da Proteção Civil e engenheiros civis, juntamente com o empreiteiro do prédio, irão "avaliar as condições de segurança do edifício e da encosta".

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria informou que o alerta para o "movimento de massas" foi dado pelas 00:20, na rua de São Miguel. Estiveram no local os Bombeiros Sapadores de Leiria, a Proteção Civil municipal e a PSP.

Na manhã de segunda-feira, a forte precipitação que ocorreu durante cerca de meia hora na cidade de Leiria provocou várias inundações, sobretudo no centro.

Registaram-se levantamentos de tampas de esgoto, deslizamento de terras na zona dos Andrinos e levantamento de pedras da calçada na rua Tenente Valadim.

Também a rua João de Deus ficou alagada e a água da chuva também entrou na Igreja do Espírito do Santo.

O CDOS registou nesse período 22 ocorrências em todo o distrito.

/ AM