Dormidas turísticas sobem quase 19% no 1.º semestre impulsionadas pelos não residentes - TVI

Dormidas turísticas sobem quase 19% no 1.º semestre impulsionadas pelos não residentes

  • Agência Lusa
  • PF
  • 31 jul 2023, 12:19
Covid-19 em Portugal

Comparativamente a junho de 2019 registaram-se crescimentos de 4,3% nos hóspedes e 3,8% nas dormidas

As dormidas de turistas aumentaram quase 19% nos primeiros seis meses do ano, impulsionados pela subida de 7,7% nos residentes e 24,2% nos não residentes, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com a estimativa rápida da atividade turística, no primeiro semestre, "as dormidas aumentaram 18,8%, +7,7% nos residentes e +24,2% nos não residentes", enquanto face a igual período de 2019 "as dormidas cresceram 10,7%, +13,2% nos residentes e +9,6% nos não residentes", referem.

O setor do alojamento turístico registou 2,9 milhões de hóspedes e 7,4 milhões de dormidas em junho de 2023, correspondendo a crescimentos de 7,1% e 3,7%, respetivamente (+12,2% e +9,9% em maio de 2023, pela mesma ordem), de acordo com o documento.

Comparativamente a junho de 2019 registaram-se crescimentos de 4,3% nos hóspedes e 3,8% nas dormidas.

No mês passado, as dormidas no mercado interno diminuíram 6,7%, totalizando 2,2 milhões e os mercados externos aumentaram 8,7%, correspondendo a 5,3 milhões de dormidas. Face a junho de 2019, registaram-se aumentos de 0,5% nas dormidas de residentes e 5,2% nas de não residentes.

Os mercados dos Estados Unidos e do Canadá "continuaram a destacar-se com os maiores crescimentos face a junho de 2019 (60,3% e 39,7%, respetivamente), e também face ao mesmo mês de 2022 (22,2% e 36,2%, pela mesma ordem), adianta o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Relativamente a junho de 2019, as dormidas no Algarve continuaram a decrescer (-6,8%, -0,9% em maio)".

Entre os maiores crescimentos face a junho de 2019 destacou-se o Norte (+17,1%), a Região Autónoma dos Açores (+16,7%) e a Região Autónoma da Madeira (+14,3%).

"A taxa líquida de ocupação-cama nos estabelecimentos de alojamento turístico (53,0%) diminuiu 0,6 pontos percentuais em junho (+1,9 pontos percentuais em maio)", lê-se no documento.

A taxa líquida de ocupação-quarto (63,5%) manteve o nível de 2022 (+3,3 pontos percentuais em maio).

Comparativamente a junho de 2019, "registaram-se decréscimos de 2,2 pontos percentuais e 0,2 pontos percentuais, respetivamente, sendo as primeiras descidas desde setembro de 2022, face aos níveis de 2019".

No segundo trimestre, "as dormidas aumentaram 8,9% (+8,7% face ao segundo trimestre de 2019), enquanto as dormidas de residentes diminuíram 0,2% (+9,4% em relação ao segundo trimestre de 2019) e as de não residentes cresceram 12,9% (+8,4% comparando com o segundo trimestre de 2019)".

Em junho, 14,7% dos estabelecimentos de alojamento turístico estiveram encerrados ou não registaram movimento de hóspedes (19,0% em maio).

Continue a ler esta notícia