Portugal é a terceira economia europeia que mais cresceu. Há três países em recessão - TVI

Portugal é a terceira economia europeia que mais cresceu. Há três países em recessão

  • ECO - Parceiro CNN Portugal
  • Joana Abrantes Gomes
  • 16 ago 2023, 10:38
António Costa e Fernando Medina (Lusa/Tiago Petinga)

A taxa de crescimento homóloga do PIB nacional fixou-se em 2,3%, mas este valor representa um abrandamento em relação ao crescimento homólogo de 2,5% registado nos primeiros três meses de 2023

Relacionados

Portugal está entre as economias da Zona Euro com melhor desempenho no segundo trimestre do ano: entre abril e junho, a economia nacional apresentou uma taxa de crescimento homólogo do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,3%, segundo a atualização de dados feita esta quarta-feira pelo Eurostat. A performance da economia portuguesa coloca-a em terceiro lugar em termos de crescimento homólogo, a par com o Chipre.

Em sentido inverso, há nove países cujo PIB contraiu face ao segundo trimestre do ano passado, sendo que três estão mesmo em recessão. Estónia, Hungria e Países Baixos registaram dois trimestres consecutivos de contração da economia, face aos três meses anteriores, o que os coloca em situação de recessão técnica.

Melhor desempenho que a economia nacional teve a Irlanda, que registou uma taxa de crescimento homólogo de 2,8% entre abril e junho e, assim, acelerou em relação ao trimestre anterior — período em que o PIB aumentou 2%. Simultaneamente, é um dos sete países da moeda única a apresentar um crescimento homólogo acima do registado no primeiro trimestre; os outros seis foram a Alemanha, a Estónia, a Eslovénia, a Eslováquia, a Lituânia e a Finlândia.

Com um crescimento homólogo de 2,7% no segundo trimestre, também o PIB da Roménia aumentou mais que a economia portuguesa. Mal, tal como no caso nacional, estes números representam uma desaceleração face aos primeiros três meses do ano, em que a economia romena cresceu 2,9% na variação homóloga.

Espanha, o principal parceiro comercial de Portugal, está entre os países cuja economia mais travou: após crescer 4,8%, em termos homólogos, entre janeiro e março, fechou o segundo trimestre com um crescimento de 1,8%. Dos dados do Eurostat destaca-se também a Itália, que passou de uma taxa de crescimento homóloga de 2% para 0,6%, e ainda a Áustria, cujo PIB contraiu 0,3% no segundo trimestre depois de ter crescido 1,8% no trimestre anterior.

O gabinete europeu de estatísticas confirma ainda que o PIB da Zona Euro terminou o período de abril a junho com um crescimento em cadeia de 0,3%, o que compara com uma taxa de crescimento nula no primeiro trimestre e com uma contração de 0,1% no quarto trimestre. Em termos homólogos, as economias dos 20 países da moeda única cresceram 0,6% no segundo trimestre. Este valor, apesar de ficar acima das previsões dos analistas, situa-se abaixo da taxa de crescimento homólogo de 1,1% registada nos primeiros três meses do ano.

Na União Europeia (UE), o crescimento do PIB foi de 1,3% na variação homóloga e de 0,2% na variação em cadeia — no primeiro trimestre, o conjunto das 27 economias europeias tinha crescido 1,6% em termos homólogos e 0,5% na comparação com o trimestre anterior.

Continue a ler esta notícia

Relacionados