Eduardo Cabrita não vai ser julgado no caso do atropelamento mortal na A6 - TVI

Eduardo Cabrita não vai ser julgado no caso do atropelamento mortal na A6

  • Henrique Machado
  • CNN Portugal
  • 7 nov, 15:47
Eduardo Cabrita (LUSA)

Atropelamento na A6 resultou na morte de um homem.

Eduardo Cabrita, ex-ministro da Administração Interna, foi não pronunciado pelo Tribunal de Évora no caso do atropelamento mortal de um homem, na A6, pelo carro do governante durante uma deslocação oficial, e não será julgado. 

Há três semanas, o Ministério Público tinha defendido que Cabrita e o seu antigo chefe de segurança, Nuno Dias, não deviam ir a julgamento neste processo, cujo debate instrutório decorria nas instalações do Tribunal da Relação de Évora. O magistrado do MP considerou que não havia indícios suficientes que sustentassem a pronúncia destes dois arguidos. 

O procurador argumentou que o ex-MAI ia a trabalhar e a responder a emails e telefonemas durante a viagem, não se tendo apercebido da presença do peão na via, e apontou a falta de provas de que Cabrita soubesse da velocidade a que seguia o veículo no qual era transportado. 

Continue a ler esta notícia

EM DESTAQUE