Com o regresso à normalidade e a diminuição das restrições impostas pela pandemia da. Covid-19, 2022 abriu novamente portas à mobilidade internacional. O número de deslocalizações de pessoas de todo o mundo para 22 países, incluindo Portugal, Estónia, Alemanha e Holanda, aumentou na ordem dos 56%. Mas há funções que são mais procuradas do que outras pelas empresas estrangeiras. É o caso dos perfis da área tecnológica. O salário médio dos profissionais realocados nesta área supera os seis mil euros por mês. Em Portugal, é de cerca de 4.300 euros mensais, revela a Jobbatical, a plataforma tecnológica que gere a alocação de colaboradores para empresas estrangeiras.

“O fim da pandemia e o ano de 2022 reabriram o mercado ao mundo e vieram reforçar as tendências do teletrabalho, dos verdadeiros nómadas digitais e da possibilidade de trabalhar a partir de qualquer lugar”, começa por explicar Karoli Hindriks, CEO e cofundadora da Jobbatical.

“Vemos esta tendência sobretudo no setor tecnológico, onde a luta por talento não para de crescer. Como tal, para permitir aos colaboradores trabalharem em qualquer parte do mundo e às empresas terem acesso a uma maior pool de talento é necessário continuar a combater a desburocratização de processos de imigração”, defende, citada em comunicado.

Top 10 dos perfis mais realocados

Entre os perfis mais realocados durante este ano estão, sobretudo, os de software developers, software engineers, quality assurance engineers, senior software engineers e product managers. Ainda no top 10 encontram-se as funções de backend engineers, senior software developers, product designers, senior backend engineers e customer relations coordinators.

  1. Software developers
  2. Software engineers
  3. Quality assurance engineers
  4. Senior software engineers
  5. Product managers
  6. Backend engineers
  7. Senior software developers
  8. Product designers
  9. Senior backend engineers
  10. Customer relations coordinators

Segundo a empresa estoniana, o salário médio dos perfis realocados supera os seis mil euros brutos por mês. Em Portugal, o rendimento médio bruto mensal situa-se nos 4.300 euros.

“Em média, estes profissionais demoram quatro meses a completar o processo de mudança para um novo país, sobretudo graças à solução da Jobbatical”, refere a empresa, que automatiza processos de imigração tradicionalmente geridos em papel, e que já poupou às empresas um total de 15.664 horas a tratar de questões burocráticas.

Em Portugal, durante o ano de 2022, a Jobbatical realizou mais de 300 processos de realocação. Globalmente, iniciou cerca de 6.000 casos de imigração de pessoas de 118 nacionalidades, deslocando-as para 22 países.

ECO - Parceiro CNN Portugal / Joana Nabais Ferreira