O novobanco aprovou um aumento salarial de 4%, mantendo a decorrer as negociações com os sindicatos. O aumento será processado já a 23 de janeiro, informa o banco. Depois do BPI, é o segundo banco privado a avançar com aumentos salariais antes da conclusão das negociações com os sindicatos.

“O novobanco aprovou agora a antecipação de 4% de aumento salarial a aplicar à tabela de níveis ACT em 2023, para todos os colaboradores no ativo. Mantendo em curso as negociações sindicais, o novobanco entendeu oportuno fazer, desde já, esta antecipação aos seus colaboradores. Este aumento será aplicado ao vencimento base (correspondente ao nível ACT) e processado já no próximo dia 23 de janeiro”, informa o banco em comunicado.

Esta decisão complementa o pacote de medidas de apoio do banco lançadas no final do ano passado, entre as quais o “apoio extraordinário de 500 euros para os colaboradores com rendimentos brutos anuais abaixo de 30.000 euros e de 250 euros, para rendimentos acima desta quantia”; uma “linha de crédito para apoio a situações de stress financeiro“; a possibilidade de “antecipar 50% do subsídio de natal de 2023” e, por fim, a “flexibilização dos prazos de amortização do crédito habitação no regime de crédito habitação própria permanente-ACT“, enumera a instituição financeira.

Aumento abaixo da inflação estimado pelo BdP

Num momento em que ainda decorrem as negociações com os sindicatos, o novobanco antecipa os aumentos salariais dos seus colaboradores em 4%, juntando-se ao BPI que anunciou esta semana a mesma decisão e um aumento de igual valor percentual.

O valor está abaixo das exigências do Mais Sindicato, do Sindicatos dos Bancários do Centro e do Sindicato dos Bancários do Norte (SBN) – que reivindicam, para este ano, uma atualização de tabelas e cláusulas de expressão pecuniária de 8,5% – e do Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários (SNQTB), que exige 6,25%, refere a Lusa.

A contraproposta das instituições financeiras subscritoras do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) do setor é de 2,5% de aumento salarial, abaixo das previsões da inflação para este ano que, segundo as estimativas do Banco de Portugal deverá ser de 5,8% este ano.

ECO - Parceiro CNN Portugal / Ana Marcela