Samantha propôs-se a encontrar um marido num ano. Depois, encontrou um homem numa aplicação de encontros do outro lado do mundo - TVI

Samantha propôs-se a encontrar um marido num ano. Depois, encontrou um homem numa aplicação de encontros do outro lado do mundo

  • CNN
  • Francesca Street
  • 20 abr, 16:00
Samantha Hannah estava a viver na Nova Zelândia quando se cruzou numa aplicação de encontros com Toby Hunter, que estava em Londres. Aqui está o casal em Hawkes Bay, na Nova Zelândia. (Samantha Hannah)

Uma história recheada de coincidências e finais felizes que deu origem a um espetáculo de comédia

Relacionados

Samantha Hannah estava a viajar pela Austrália e pela Nova Zelândia, a absorver novos lugares e experiências, ao mesmo tempo que refletia sobre o seu passado e considerava a sua vida até então.  

Estávamos no final de 2017. Samantha, de Perth, Escócia, tinha 31 anos. O irmão tinha morrido inesperadamente alguns anos antes.

"Queria sair e viver a minha vida tanto quanto possível, agora que ele já não podia", conta Samantha à CNN Travel.  

O irmão de Samantha tinha-lhe deixado algum dinheiro. "Por isso, despedi-me do meu emprego e gastei esse dinheiro num bilhete para ir para a Austrália", conta Samantha. "Depois mudei-me para a Nova Zelândia por uns tempos e estava a tentar perceber o que queria fazer da minha vida."

Samantha sempre gostou de comédia e trabalhou no circuito de comédia do Reino Unido durante algum tempo, quando tinha 20 e poucos anos. Agora - enquanto se alojava em albergues e passava as noites com outros companheiros de mochila às costas em pubs australianos, ou a caminhar pelas belas paisagens da Nova Zelândia - Samantha continuava a considerar, no fundo da sua mente, a ideia de potencialmente voltar ao palco. 

Mas se Samantha ia voltar à comédia, queria fazê-lo de forma diferente desta vez. Queria voltar com um espetáculo de uma hora, com um conceito forte em que acreditasse com todo o coração. 

Entretanto, sempre que Samantha consultava as redes sociais para ver o que se passava em casa, mais um amigo parecia estar a anunciar o noivado no Facebook. Ou a publicar uma fotografia de ecografia no Instagram. Ou a enviar uma mensagem de WhatsApp entusiasmada com uma fotografia de chaves penduradas, em frente a uma casa recém-comprada. 

Samantha estava feliz por todos os seus amigos, mas também se maravilhava com o facto de todos terem crescido de repente, enquanto ela estava solteira, desempregada e a viajar, sem morada fixa. 

Talvez devesse procurar um marido, pensou Samantha distraidamente enquanto percorria uma série de fotografias de noivado. E, de repente, nasceu a ideia de um espetáculo de comédia. 

"Pensei em escrever um espetáculo chamado 'Como encontrar um marido num ano'", diz Samantha. "O que é que parece se tivermos isso como objetivo? Era uma piada, não estava à espera de encontrar ninguém." 

Enquanto vivia em Wellington, capital da Nova Zelândia, Samantha descarregou a aplicação de encontros Tinder "e começou a dizer 'sim' a toda a gente". Anunciou as suas intenções no seu perfil de encontros, explicando que estava a escrever um espetáculo e avisando os potenciais parceiros de que "qualquer interação no Tinder pode ser usada como material".

Samantha pensou que quanto mais encontros tivesse, com o maior número possível de homens, mais material teria para o seu espetáculo de comédia - e, teoricamente, maior seria a probabilidade de encontrar um potencial marido.  

Pouco tempo depois, Samantha escolheu um tipo chamado Toby. Gostou do facto de ele ter uma fotografia com um cão e de "parecer que viajava muito".  

Também lhe "parecia que tinha personalidade". A sua biografia - o pequeno resumo que os utilizadores da aplicação de encontros escrevem sobre si próprios - era "engraçada e original".  

O único problema é que, apesar de Toby ser aparentemente da Nova Zelândia, quando deu match com Samantha, não estava a viver lá.  

"Parabéns pelo teu encontro a 12000 km de distância", escreveu Toby a Samantha. "Como está a correr a caça ao marido para ti?"  

Um encontro inesperado  

Samantha e Toby entenderam-se quando se encontraram no Tinder - apesar de estarem em lados opostos do mundo. Aqui estão eles mais tarde, a passear pelo Marlborough Sounds, na Nova Zelândia. Samantha Hannah

Tal como Samantha, no final de 2017, Toby Hunter estava a passar por um período de transição. Natural de Gisborne, na Nova Zelândia, tinha crescido em Napier, frequentado a faculdade em Wellington e depois, com 20 e poucos anos, mudara-se para Londres.

Agora tinha 30 anos, tinha saído recentemente de uma relação de longa e não sabia se devia ficar no Reino Unido ou regressar a casa.  

"Nessa altura, não tinha bem a certeza do que iria fazer, se queria ficar em Londres ou regressar à Nova Zelândia", conta Toby à CNN Travel. "Passei seis meses em Bali, a aprender a surfar, a tentar perceber o que pretendia da vida."  

Enquanto pensava no futuro, Toby ajustou as definições do Tinder para se expandir para fora da zona oeste de Londres e incluir Wellington, na Nova Zelândia - em parte porque trabalhava em análise e estava intrigado com a forma como o algoritmo do Tinder funcionava. E, em parte, porque Toby estava a pensar como seria ser solteiro na sua antiga cidade universitária.  

Rapidamente descobriu que a piscina de encontros de Wellington estava cheia de pessoas que conhecia vagamente - amigos de amigos ou velhos conhecidos da faculdade. Samantha, com a sua "biografia divertida e diferente", que anunciava os seus planos para um espetáculo de comédia e as suas intenções de procurar marido, destacou-se.  

Toby lembra-se que o perfil de Samantha também mencionava "viagens e que ela gostava muito de melão".  

E mostrava a faculdade onde tinha estudado, que era no Reino Unido. 

"Por isso, pensei que talvez fosse inglesa", recorda Toby. "Além disso, achei-a gira." 

Quando começaram a trocar mensagens, Samantha e Toby aperceberam-se de que, apesar de estarem em lados opostos do mundo, cada um vivia numa cidade que o outro conhecia muito bem - Samantha tinha passado anos a viver em Londres, enquanto Toby conhecia bem Wellington.  

"Gostámos da ironia", diz Samantha.  

"Também nos identificávamos muito facilmente com o que o outro estava a fazer, o que proporcionava uma boa conversa", acrescenta Toby. "A Sammy estava a sentir falta de partes de Londres e eu estava a sentir falta de partes da Nova Zelândia."  

Nesse primeiro dia, trocaram centenas de mensagens de um lado para o outro. A ligação - e a facilidade - foi óbvia desde o início.  

Samantha mencionou que alguns dos seus amigos viriam juntar-se a ela em breve e que o grupo iria viajar pela Nova Zelândia. Toby enviou imediatamente uma lista de recomendações de sítios onde deviam ir.  

Depois, Samantha partilhou histórias engraçadas sobre os "encontros horríveis" que tinha tido na sua busca de marido. Toby simpatizou - ele próprio já tinha tido muitos encontros maus. 

Então, alguns dias depois de se terem contactado pela primeira vez, Samantha estava a enviar mensagens a Toby enquanto estava num bar. 

Depois de vários copos de vinho, decidiu telefonar-lhe espontaneamente.  

"Foi a primeira vez que falámos", recorda Samantha.  

Ela estava à porta de um bar, no meio de uma multidão de pessoas a beber, quando Toby atendeu. O rosto dele, surpreendido e depois feliz, apareceu no ecrã do telemóvel de Samantha. Mas depois, quase instantaneamente, começou uma luta ao lado de Samantha e ela decidiu intervir e tentar separá-la. 

"Assim que peguei, literalmente, no telefone, ouvi um sotaque escocês a gritar: 'Deixa-o, ele não vale a pena'", recorda Toby.  

"Não foi uma luta séria", explica Samantha. "Foi só uma discussão parva. Mas sim, ajudei a separá-la."  

Cumprido o dever civil, Samantha voltou a concentrar-se na videochamada. Não foi uma conversa longa, mas foi "divertido" ver a cara de Toby e não parecer estar a conversar com um estranho.  

Quanto a Toby, quando atendeu a chamada, sentiu-se "entusiasmado e nervoso". Mas, quase de imediato, a conversa com Samantha tornou-se "muito fácil".  

Samantha e Toby tinham uma camaradagem fácil quando trocavam mensagens. Aqui estão eles mais tarde, em Glenorchy, Nova Zelândia. Samantha Hannah  

Toby pensou que, quando chegasse a manhã da Nova Zelândia, Samantha poderia estar um pouco de ressaca, por isso tratou do envio de um bagel de pequeno-almoço para o seu albergue, o que ela achou "muito gentil".  

E assim continuaram as idas e vindas. Os amigos de Samantha chegaram e o grupo começou a explorar a Nova Zelândia, encontrando-se em Napier, a cidade onde Toby tinha passado grande parte da sua infância e onde os seus pais ainda viviam.  

"Os meus pais têm lá uma loja de peixe e batatas fritas", contou Toby a Samantha. "Devias ir lá dizer-lhes olá."  

Isso seria um pouco desonesto, pensou Samantha, mas também poderia ser uma boa história para o espetáculo de comédia e disse-lhe que tencionavam passar por lá.  

Entretanto, Toby disse aos pais que Samantha poderia ir ao café, esforçando-se por lhe descrever quem ela era.  

"Porque o que é que eu e a Sammy éramos? Tinham passado duas ou três semanas", conta Toby. "Não estávamos propriamente a namorar. Estávamos apenas a conversar. Conversávamos muito."  

No final, ele descreveu Samantha apenas como uma "amiga de fora da cidade".  

E foi fácil para os pais de Toby identificarem-na. Samantha e os seus amigos "destacavam-se como quem não quer nada", como diz Samantha.  

"Eu sou do Reino Unido. Lá, o padrão de vestuário é muito diferente do da Nova Zelândia. A Nova Zelândia é muito informal - por exemplo, quando se vai a uma loja de peixe e batatas fritas, a maioria das pessoas não tem sapatos calçados", observa.  

Samantha e as suas amigas chegaram com cabelo e maquilhagem feitos, enquanto usavam saltos altos.  

"Fomos muito, muito bem vestidas", conta.  

A mãe de Toby adivinhou imediatamente que Samantha devia ser a amiga que Toby tinha mencionado. O pai de Toby tirou uma fotografia de Samantha e das suas amigas a olharem com curiosidade para a ementa. Tudo isto foi bastante surreal, ainda mais pelo facto de Samantha ter conhecido os pais de Toby antes de conhecer Toby pessoalmente.  

Depois da paragem em Napier, os amigos de Samantha continuaram as suas viagens, mas Samantha estava numa encruzilhada. Queria conhecer Toby na "vida real" e começou a pensar como o poderia fazer. 

Não achava que tivesse necessariamente atingido o seu objetivo de procurar um marido, mas Samantha tinha a sensação de que a sua ligação com Toby poderia ser algo de especial.  

Toby sentia o mesmo. Era analista, alguém que trabalhava em estatística - e as estatísticas pareciam sugerir que não se tratava de um encontro vulgar na aplicação de encontros.  

"Tínhamos estado a conversar muito", explica. 

Encontro na "vida real"

Toby e Samantha queriam encontrar-se pessoalmente e finalmente conheceram-se em dezembro de 2018. Aqui estão eles no ano seguinte, de férias em Budapeste, na Hungria. Samantha Hannah

Samantha e Toby combinaram que ela reservaria um voo para Londres em dezembro e que finalmente se encontrariam pessoalmente.  

Toby prometeu encontrar-se com Samantha no aeroporto. Até esse momento, Samantha tinha a ideia de que Toby era uma pessoa muito organizada - com a infinidade de dicas da Nova Zelândia, o bagel de pequeno-almoço entregue no seu hostel - mas depois chegou ao aeroporto de Heathrow, em Londres, e Toby não estava em lado nenhum.  

"Fiquei ali à espera, como se tivesse sido enganada, como se tivesse sido vítima de um golpe, à espera que a equipa de filmagem da MTV aparecesse ou assim", conta. "Além disso, tinha feito uma viagem de 30 horas, por isso não foi o melhor."  

Acontece que Toby não tinha pensado que o metro de Londres não estaria a funcionar de manhã cedo, quando Samantha aterrou. Enviou mensagens de forma frenética a pedir desculpa e acabou por apanhar um comboio para o aeroporto.  

Entretanto, Samantha foi à casa de banho do aeroporto "tentar refrescar o cabelo e a maquilhagem e ficar apresentável".  

Quando Toby chegou a Heathrow, tinha na mão uma garrafa de dois litros de sumo de maçã Copella. Quando Samantha o viu, desatou a rir.  

Na véspera da sua visita, Toby tinha perguntado a Samantha sobre as coisas de que mais sentia falta no Reino Unido. No topo da sua lista estava o sumo Copella, uma marca de sumo britânica modesta que não é vendida na Nova Zelândia. Quando Toby estava a pensar no que levar para o aeroporto, a resposta foi óbvia.  

"Sou prático, não sou um tipo de flores", afirma Toby. "Achei que o sumo era uma boa escolha."

"Além disso, pelo menos eu sabia quem ele era", brinca Samantha. "Eu pensava: 'Ah, sim, é o tipo com um sumo enorme na mão'."  

Samantha e Toby descobriram que a sua química se traduzia facilmente na vida real. Samantha Hannah  

Nos dias seguintes, Samantha - que ficou hospedada no apartamento dele - e Toby conheceram-se pessoalmente. Toby lembra-se de se sentir "entusiasmado e talvez um pouco confuso sobre o que se seguiria".  

No primeiro dia, Toby mostrou a Samantha a sua Londres - os seus pubs e locais de brunch favoritos da zona oeste de Londres. No segundo dia, Samantha mostrou a Toby a sua versão da cidade.  

"Costumava trabalhar para o Madame Tussauds, por isso tinha bilhetes grátis para coisas como as London Dungeons e levei-o a todas as atrações", explica Samantha. "Por isso, fomos a todos esses sítios, e fizemos muitos brunches e muitas refeições."  

A conversa incessante de Toby e Samanta através de mensagens traduziu-se bem em conversas na vida real. Gostavam da companhia um do outro, falando sobre tudo e mais alguma coisa.  

E, em suma, os dois eram praticamente como esperavam que fossem um para o outro - exceto que Toby era "um pouco mais alto" do que Samantha esperava e menos organizado. E Samantha era mais espontânea do que Toby imaginava. Era tinha sempre "pensamento e planeamento livre" - feliz por ver como as coisas corriam, sem ter em conta todas as eventualidades.  

Samantha ficou com Toby durante cerca de uma semana e depois foi visitar a família na Escócia. Entretanto, Toby foi esquiar, teve um acidente e partiu uma perna. Quando Samantha regressou a Londres, Toby estava em mau estado. Sem que houvesse qualquer acordo entre eles, Samantha comprometeu-se a "tratar dele" e também a manter o espírito de Toby e a ajudá-lo a desfrutar da vida londrina enquanto estivesse engessado.  

"Por isso, passeávamos pelo Design Museum enquanto o Toby estava de cadeira de rodas e eu empurrava-o", recorda Samantha.  

O tempo passou e Samantha não regressou à Nova Zelândia. A dada altura, ela e Toby comprometeram-se a dar uma verdadeira oportunidade à sua relação.  

"Acho que nem sequer tivemos uma conversa sobre isso", diz Toby. "Mas estávamos a passar 24 horas por dia, 7 dias por semana juntos."  

Samantha diz que a decisão foi óbvia "assim que nos conhecemos na vida real".  

Com o tempo, Toby conheceu a família de Samantha e Toby e Samantha apresentaram o outro aos respetivos amigos.

"Os nossos amigos apoiaram-nos e deram-nos todo o apoio", refere Samantha.  

"Acharam que era uma história muito louca e ficaram entusiasmados por a seguir", explica Toby.  

Entretanto, Toby telefonou aos pais e disse-lhes que a rapariga que tinha chegado demasiado bem vestida, à loja deles de peixe e batatas fritas era agora a sua namorada. Eles ficaram muito contentes por ele, mas a alegria acabou por ser um pouco atenuada pelo horror de terem cobrado o peixe e as batatas fritas à Samantha.  

"Até hoje, a mãe do Toby diz que esse é o seu maior arrependimento", conta Samantha.  

Contar a história em palco 

Samantha contou pela primeira vez a história de como conheceu Toby no palco em 2018. Em 2023 atuou para uma plateia esgotada na Wellington Opera House. Samantha Hannah

Em julho de 2018, Samantha apresentou a primeira antevisão do seu espetáculo: "How to find a husband in a year" (Como encontrar um marido num ano) em Londres. Toby estava na plateia e, para ele, a experiência foi um momento surreal e de orgulho.  

"Embora soubesse que a Sammy era uma pessoa engraçada, ainda não a tinha visto em palco", conta Toby. "Ela arrasou, riu-se imenso e contou a nossa história de forma divertida." 

Samantha diz que não teve qualquer escrúpulo em partilhar pormenores do seu romance com Toby em palco.  

"Tornava-o mais divertido ter uma história divertida associada a ele", afirma.  

Nesse verão, Samantha levou o espetáculo ao Edinburgh Fringe Festival, a prestigiada montra de comédia escocesa. O título apelativo - e a grande história de bastidores - deram origem a algumas manchetes na imprensa britânica e Samantha saiu de Edimburgo orgulhosa e entusiasmada. Na verdade, não tinha "um marido", mas tinha um parceiro empenhado, uma carreira de comediante promissora e um futuro brilhante.  

Em janeiro de 2019, Samantha e Toby foram viver oficialmente juntos em Londres.  

"Assentámos", diz Samantha. "Começámos a ser mais como um casal normal."

Samantha e Toby mudaram-se para a Nova Zelândia em 2021. Aqui junto ao Monte Ngauruhoe enquanto caminham pela Travessia de Tongariro. Samantha Hannah  

E então, depois de vários anos juntos em Londres, em 2021, Samantha e Toby deram outro salto juntos e mudaram-se para a Nova Zelândia.  

"Para mim, fundamentalmente, eu sempre quis voltar para a Nova Zelândia em algum momento", conta Toby. "E a Sammy foi como que introduzida no estilo de vida neozelandês."  

O casal alugou um apartamento em Wellington, com vista para o oceano, e sentiu de imediato que tinha tomado a decisão certa. Depois compraram a primeira casa.  

"É simplesmente deslumbrante", diz Samantha sobre a Nova Zelândia. "Estamos realmente instalados aqui."  

No ano passado, os pais de Samantha vieram visitar Wellington e conheceram os pais de Toby pela primeira vez.  

"Deram-se todos tão bem que foi muito giro", conta Samantha. "Agora mandam mensagens uns aos outros, são amigos no Facebook."  

Construir uma vida juntos  

Toby e Samantha estão ansiosos por um futuro em conjunto. Samantha Hannah

Atualmente, Samantha continua a escrever comédia. Publica atualizações sobre o seu trabalho na sua conta do Instagram e está atualmente concentrada na preparação para o Festival Internacional de Comédia da Nova Zelândia, em maio.  

Já passou algum tempo desde que Samantha apresentou o espetáculo sobre o seu encontro com Toby - afinal, já passaram quase sete anos desde que começaram a trocar mensagens um com o outro a partir de lados opostos do globo. A forma como se conheceram já não parece tão significativa como outrora.  

"Foi uma experiência muito divertida para nós os dois", afirma Samantha sobre o seu namoro invulgar. "E depois tornou-se normal. Estamos juntos há seis, sete anos, e já tivemos tantas fases diferentes que às vezes esquecemo-nos que foi assim que nos conhecemos." 

Ainda assim, Samantha continua a dar crédito ao espetáculo por ter dado origem a relação. 

Apesar disso tudo, tecnicamente, Samantha ainda não "encontrou um marido". Samantha e Toby não são casados.  

"Vou deixar o Toby responder a essa pergunta", afirma Samantha, rindo, quando questionada sobre a perspetiva do casal em relação ao casamento.  

"Tenho a certeza que um dia vai acontecer", refere Toby, também a rir.  

Na verdade, tornou-se uma piada recente na comédia de Samantha o facto de Toby não a ter pedido em casamento, mas embora goste de brincar com isso e "ver o Toby a contorcer-se um pouco", Samantha diz que o seu espetáculo é, na verdade, sobre "a pressão social e como não se deve ter de fazer nada de uma forma tradicional".  

"Isso inclui o casamento", afirma Samantha. "E para nós, é apenas uma conversa de adultos que vamos ter e vamos decidir como o queremos fazer, se isso se encaixa nos nossos planos."  

Toby diz que, mesmo quando Samantha o provoca em palco, está sempre muito "orgulhoso dela quando atua".

"Ver como ela cresceu desde as salas mais pequenas em Londres até atuar para audiências de mais de mil pessoas, é muito fixe", afirma.  

Para Toby, ver Samantha em palco é também um momento em que pensa na sorte que tem por ela ter entrado na sua vida.  

"Somos ambos muito sortudos", acrescenta Samantha. "Temos uma vida fantástica que construímos ao longo dos últimos seis anos, juntos."  

Uma vez, Samantha perguntou a Toby se ele podia usar as suas capacidades analíticas para calcular as probabilidades estatísticas de os dois se encontrarem - tinha pensado que a estatística podia ser divertida para incluir no programa.  

Toby não foi capaz de o fazer, mas a pergunta fê-los refletir sobre a probabilidade de se conhecerem e de se apaixonarem - e como estão gratos por isso ter acontecido.  

"A vida pode mudar a qualquer momento, mas especialmente quando nos colocamos em novas situações ou fora da nossa zona de conforto", afirma Toby. 

"Deixar o meu emprego e Londres para viajar mudou todo o rumo da minha vida", concorda Samantha. "Agora vivo na Nova Zelândia com um namorado que adoro, numa casa linda e faço comédia regularmente. Nenhum de nós era muito feliz antes de nos conhecermos, mas acho que é seguro dizer que somos ambos muito felizes agora." 

Continue a ler esta notícia

Relacionados