Professores britânicos vão ser obrigados a comunicar aos pais se os filhos estão a questionar a sua identidade de género - TVI

Professores britânicos vão ser obrigados a comunicar aos pais se os filhos estão a questionar a sua identidade de género

  • CNN Portugal
  • MM
  • 31 jul 2023, 11:22
Tristeza pode ser sinal de alerta

A determinação vem do próprio Governo britânico e deve sobrepor-se à vontade do próprio jovem: a identidade de género dos jovens deverá ser discutida com os pais, mesmo que os visados não queiram. Assim, os pais saberão “o que está a acontecer com os filhos na escola”, defende a ministra da Igualdade

Os professores britânicos vão ser obrigados a comunicar aos pais se os filhos questionam a própria identidade de género. É uma nova orientação dada às escolas e que partiu do próprio Governo britânico. A ministra da Igualdade, Kemi Badenoch, justifica que, desta forma, fica garantido os sabem “o que está a acontecer com seus filhos” na escola.

De acordo com a nova determinação, publicada esta semana, os pais sempre devem ser consultados se uma criança quiser ser chamada por outro nome ou usar um uniforme diferente. Mesmo que o jovem peça para que os pais não sejam informados. Também foi sugerido que as escolas não usem os novos pronomes preferidos da criança até que os pais deem seu consentimento.

Qualquer aluno que queira identificar-se como um gênero diferente deve também primeiro passar por um período de reflexão, avança o jornal The Guardian.

Em entrevista ao programa da BBC Sunday With Laura Kuenssberg, a ministra da Igualdade do Reino Unido explica que estão a  ser produzidas “orientações para as escolas saberem como lidar com crianças que estão a passar por problemas de gênero”.

“Há muita confusão sobre o que diz a lei e é importante que os pais saibam o que está a acontecer com seus filhos e o que está a acontecer com eles na escola”, justifica.

Confrontada de que as orientações podem contrariar a vontade dos jovens de que os pais não saibam, pelo menos para já, das suas dúvidas, Badenoch respondeu: “O fato é que isto não é uma coisa trivial. Isto é muito diferente de orientação sexual e o certo é que os pais saibam o que está acontecendo com seus filhos na escola”.

De acordo com o The Guardian, as escolas têm vindo a enfrentar um aumento do número de crianças que questionam o próprio seu género. Os professores têm vindo a pedir mais clareza sobre como devem apoiar estes jovens.

Continue a ler esta notícia