Médico espanhol assinava justificação de faltas dos 8 filhos que maltratava para encobrir agressões - TVI

Médico espanhol assinava justificação de faltas dos 8 filhos que maltratava para encobrir agressões

  • CNN Portugal
  • MCP
  • 10 abr 2023, 17:31
Colmenar Viejo

Os vizinhos asseguram que no interior da casa, numa urbanização de Colmenar Viejo, se ouviam "ruídos de pancada e gritos".

Um médico espanhol e a mulher foram presos por maltratarem os oito filhos com idades entre os 8 e 14 anos. De acordo com o jornal espanhol El Mundo, detalhes sobre o ambiente em que as crianças viviam nesta vivenda de Colmenar Viejo, uma província de Madrid, foram conhecidos depois de uma denúncia, no final de março, por parte da filha mais velha que levou a uma investigação.

Na sequência desse inquérito policial, a polícia compreendeu a situação de risco em que estes menores viviam e a guarda parental foi retirada aos progenitores. As crianças já deram entrada num centro de acolhimento de Madrid.

Depois da Polícia Judiciária compilar várias denúncias de vizinhos e da escola das crianças, o juiz autorizou a busca à casa da família que apresentava um “estado de insalubridade em todos os quartos”, com exceção do escritório do pai, enquanto a situação sanitária e higiénica das casas de banho e cozinha era “terrível".

Durante a busca, também foram encontrados uniformes hospitalares e outros instrumentos médicos (luvas, máscaras, remédios), muitos ainda guardados em caixas. "Estamos a falar de milhares de unidades", dizem fontes da investigação. 

As crianças viviam sobrelotadas num único quarto com beliches, desnutridos, sem poder frequentar a escola há dias. O pai, de 45 anos e médico num hospital de Madrid, batia-lhes com um cinto e, de forma a esconder as marcas das agressões, assinava justificações médicas para faltarem às aulas. 

Segundo El Correo, inicialmente nenhuma das crianças se abriu em relação ao caso - “foram instruídos a não contar nada sobre o que acontecia em casa, mas aos poucos eles foram relatando os castigos sofridos”, partilha um dos inspetores.

"Explicaram que, quando o pai ficava zangado, colocava-os numa espécie de cave e ficavam lá durante horas, pelo que as meninas mais velhas agiam como mães dos mais pequenos", disse.

Outra punição comum, que alguns vizinhos alegam ter presenciado, seria deixar as crianças ao frio durante horas no pátio da casa até de madrugada, além da constante humilhação e abuso psicológico a que eram submetidos. Além disso, testemunhas contaram às autoridades que chegaram a ouvir "ruídos de pancada e gritos". 

Também a mãe de 45 anos terá oferecido um "tratamento degradante aos oito filhos, que tinha abandonado”, lê-se no El Correo. As autoridades consideram que a mulher também foi vítima de violência de género, pelo que emitiram uma medida cautelar contra o marido, embora a vítima não o tenha denunciado.

O casal foi preso no dia 29 de março, mas já foram libertados sob acusação. O homem é investigado por furto de material hospitalar e violência de género, é acusado de maus-tratos, abandono de direitos e deveres familiares e obstrução à justiça.
 

Continue a ler esta notícia