“A História mostrou que EUA e China não podem arcar com o custo de se tratarem como oponentes”: o pedido de Kissinger a Pequim - TVI

“A História mostrou que EUA e China não podem arcar com o custo de se tratarem como oponentes”: o pedido de Kissinger a Pequim

  • Agência Lusa
  • NM
  • 19 jul 2023, 07:31
Henry Kissinger (Getty)

Antigo secretário de Estado norte-americano apela a que os dois países acabem com os mal-entendidos e coexistam em paz

O antigo secretário de Estado norte-americano, Henry Kissinger, pediu esta quarta-feira, em Pequim, que China e Estados Unidos “eliminem mal-entendidos e coexistam pacificamente”, durante um encontro com o ministro da Defesa chinês, Li Shangfu.

Segundo um comunicado emitido pelo ministério da Defesa chinês, Kissinger afirmou que, no mundo atual, coexistem desafios e oportunidades, e que Pequim e Washington devem “evitar a confrontação”.

O veterano político norte-americano disse esperar que as duas potências façam o seu melhor para alcançar resultados positivos no desenvolvimento da relação bilateral, de forma a salvaguardar a paz e a estabilidade mundiais.

“A História e os factos mostraram repetidamente que EUA e China não podem arcar com o custo de se tratarem como oponentes”

De acordo com a mesma nota, Li Shangfu disse que os povos em todo o mundo esperam que China e EUA "assumam as suas responsabilidades" como grandes países e "defendam juntos a prosperidade e a estabilidade global".

O ministro, alvo de sanções norte-americanas desde 2018 pela compra de equipamento militar à Rússia, exortou os EUA a trabalharem com a China para “implementar o consenso alcançado pelos líderes de ambos os países e promoverem um desenvolvimento saudável e estável das relações entre os dois países e respetivos exércitos”.

A visita não anunciada de Kissinger coincide com a presença na China do enviado especial dos EUA para os Assuntos Climáticos, John Kerry, que também foi secretário de Estado, entre 2013 e 2017, durante parte do mandato presidencial de Barack Obama.

Kerry, que encerra esta quarta-feira a sua estadia em Pequim, reuniu-se ao longo da semana com o homólogo, Xie Zhenhua, o primeiro-ministro chinês, Li Qiang, e o líder da Comissão para as Relações Externas do Partido Comunista da China (PCC), Wang Yi.

Também o atual secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, e a secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, visitaram recentemente Pequim, visando impulsionar a relação bilateral, que atravessa o pior momento, desde o estabelecimento das relações bilaterais, em 1979, face a uma prolongada guerra comercial e diferendos em torno da soberania do Mar do Sul da China, o estatuto de Taiwan ou questões de direitos humanos.

Kissinger, que foi assessor de Segurança Nacional e secretário de Estado de Richard Nixon (1969-1974) e Gerald Ford (1974-1977), é considerado o arquiteto da normalização das relações com a China.

O antigo político norte-americano continuou, nas últimas décadas, a visitar a China, onde se reuniu por várias vezes com o atual Presidente chinês, Xi Jinping.

Continue a ler esta notícia