Os Estados Unidos da América vão enviar 31 tanques M1 Abrams, num pacote de ajuda militar avaliado em 400 milhões de euros, para equipar um batalhão ucraniano, afirmou esta quarta-feira o presidente Joe Biden.

"Os Estados Unidos da América vão enviar 31 carros de combate M1 Abrams para a Ucrânia(...) Além disso,vamos dar à Ucrânia as peças e o material necessário para a manutenção destes veículos no campo de batalha", disse o presidente americano.

Acompanhado do secretário de Estado, Antony Blinken, e do secretário da Defesa, Lloyd Austin, o líder americano garantiu que os EUA vão garantir a formação do exército ucraniano com estes veículos, um dos mais complexos e difíceis de operar.

Biden sublinhou que, ao contrário do que era esperado por Vladimir Putin, o ocidente manteve-se unido e não vai parar o seu apoio à Ucrânia. Porém, o presidente insiste que esta decisão "não é um ataque à Rússia", mas sim uma medida para "ajudar a Ucrânia a defender o seu território". 

Com o envio deste armamento os EUA esperar demonstrar o seu "compromisso a longo-prazo" para ajudar a Ucrânia a defender o seu território. 

Este anúncio surge um dia depois do governo alemão de enviar os carros de combate alemães Leopard 2. Além de prometer o envio de 14 tanques, Olaf Scholz vai permitir países aliados de exportar o veículo para a Ucrânia. 

João Guerreiro Rodrigues