Ataque a tiro nos EUA deixa pelo menos quatro vítimas mortais e duas crianças feridas - TVI

Ataque a tiro nos EUA deixa pelo menos quatro vítimas mortais e duas crianças feridas

  • Agência Lusa
  • BCE
  • 4 jul 2023, 07:16
Tiroteio nos Estados Unidos da América

Não são conhecidos os motivos que estão na origem do ataque

Pelo menos quatro pessoas morreram e duas crianças ficaram feridas num ataque a tiro que ocorreu esta segunda-feira em Filadélfia, no nordeste dos Estados Unidos.

Em conferência de imprensa, a comissária da Polícia da Filadélfia, Danielle Outlaw adiantou que todas as vítimas eram do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 20 e os 59 anos. Duas crianças, de 2 e 13 anos, ficaram feridas na sequência deste ataque.

As forças de segurança responderam a um alerta emitido pelas 20:30 de segunda-feira (01:30 desta terça-feira em Lisboa) e, quando chegaram ao local, encontraram várias pessoas feridas por disparos de arma de fogo.

Outlaw disse que os agentes do Departamento de Polícia da Filadélfia detiveram um suspeito num beco sem incidentes e que o homem envergava um colete à prova de balas, vários cartuchos de balas, uma espingarda de assalto e uma pistola.

"Neste momento, tudo o que sabemos é que essa pessoa decidiu deixar a sua casa e atacar pessoas", disse Outlaw.

Uma outra porta-voz da polícia Jasmine Reilly disse à cadeia de televisão CNN que seis feridos tinham sido levados para o hospital Penn Presbyterian Medical Center e dois para o Hospital Infantil de Filadélfia.

O ataque aconteceu um dia depois de um tiroteio numa festa de fim de semana em Baltimore, a cerca de 160 quilómetros a sudoeste de Filadéflia, que matou duas pessoas e feriu 28.

O Gun Violence Archive registou 339 tiroteios em massa, na primeira metade do ano nos Estados Unidos, assim classificados pelo portal sempre que causem pelo menos quatro mortos ou feridos. Este é o valor mais elevado de sempre.

Especialistas têm tentado explicar o aumento de homicídios e outros tipos de violência nos últimos anos, acentuado durante a pandemia da covid-19, devido ao predomínio de armas nos Estados Unidos ou táticas policiais menos agressivas.

Continue a ler esta notícia