Ex-vice-presidente do Parlamento Europeu fica em prisão domiciliária - TVI

Ex-vice-presidente do Parlamento Europeu fica em prisão domiciliária

  • Agência Lusa
  • AG
  • 14 abr 2023, 13:27
Eva Kaili vai sair da prisão com pulseira eletrónica.  (Menelaos Myrillas/ Getty Images)

A eurodeputada grega, também afastada do grupo dos Socialistas e Democratas (S&D), é suspeita de ter intercedido a favor do Qatar e de Marrocos em troca de dinheiro, tendo-se declarado inocente

Aex-vice-presidente do Parlamento Europeu Eva Kaili foi esta sexta-feira libertada da prisão de Haren, perto de Bruxelas, após quatro meses de detenção, sob regime de prisão domiciliária com pulseira eletrónica.

Eva Kaili era a única suspeita que estava ainda detida no âmbito do escândalo de corrupção ‘Qatargate’, depois de outros dois dos principais suspeitos — o eurodeputado belga Marc Tarabella e o antigo eurodeputado italiano Pier Antonio Panzeri — terem saído, na quinta-feira, da prisão com pulseira eletrónica

A eurodeputada grega, também afastada do grupo dos Socialistas e Democratas (S&D), é suspeita de ter intercedido a favor do Qatar e de Marrocos em troca de dinheiro, tendo-se declarado inocente.

Na quarta-feira, o juiz de instrução belga Michel Claise tinha já decidido a passagem de Kaili para o regime de prisão domiciliária, que foi hoje executada. O companheiro da ex-vice-presidente do Parlamento Europeu, Francesco Giorgi, também esteve detido dois meses antes de passar ao regime de pulseira eletrónica.

As autoridades belgas fizeram as primeiras rusgas e detenções em 09 de dezembro de 2022, tendo apreendido 1,5 milhões de euros em notas. O Qatar e Marrocos negam qualquer envolvimento no caso.

Continue a ler esta notícia