Entrámos nesta luxuosa casa do rei britânico que abdicou - TVI

Entrámos nesta luxuosa casa do rei britânico que abdicou

  • CNN
  • Lianne Kolirin
  • 26 mar 2023, 11:00
Edward e Wallis Simpson

Casa francesa de Edward VIII e Wallis Simpson vai transformar-se num museu. A Villa Windsor, no Bois de Boulogne, perto de Paris, deverá abrir ao público no Verão de 2024.

A villa francesa onde o antigo rei britânico Edward VIII viveu com a sua mulher americana, Wallis Simpson, vai pela primeira vez ser aberta ao público.

A degradada villa Windsor, no bosque de Boulogne, no oeste de Paris, abrirá como museu no próximo ano. para coincidir com os Jogos Olímpicos de Paris, após uma renovação multimilionária.

Apenas alguns dias antes de o Rei Carlos III e a rainha consorte fazerem a sua primeira visita de estado a França, a Câmara Municipal de Paris atribuiu a villa a uma fundação de caridade empenhada na preservação e promoção do património francês.

Instalada em jardins, que se estendem por 1,5 hectares, a mansão de 14 quartos foi o lar onde o antigo rei, que escandalizou a sociedade britânica depois de ter abdicado em 1936, viveu com a sua mulher a sua vida posterior.

O Duque e a Duquesa de Windsor, no salão da mansão de Paris. Crédito: Robert Siegler/INA/Getty Images

Elizabeth Taylor, Marlene Dietrich e Aristóteles Onassis estiveram entre os muitos ricos e famosos que se divertiram e socializaram no número 4 da Route du Champ d'Entraînement, depois de os então Duque e Duquesa de Windsor a terem ocupado em 1953.

O casal ali viveu até à sua morte - o duque em 1972 e a duquesa em 1986. Nos dias antes da sua morte, o duque foi visitado pela sua sobrinha, a rainha Isabel II. O seu filho, então Príncipe Carlos, tinha também visitado anteriormente - num encontro que foi encenado na série “The Crown”.

Albéric de Montgolfier, presidente da organização de caridade Fondation Mansart, disse à CNN esta quarta-feira que a Câmara Municipal arrendou a mansão degradada à sua organização durante 32 anos.

“Esta casa nunca tinha sido aberta ao público”, disse, ao delinear planos para atualizar a propriedade a tempo para os Jogos Olímpicos no Verão de 2024.

Os espectadores de “The Crown” terão visto uma recriação da moradia na série da Netflix, mas nenhum dos episódios foi filmado no local em Paris.

A casa foi construída em 1928 e foi sempre propriedade da cidade de Paris, segundo Montgolfier.

Em 1944, abriu as suas portas ao General Charles de Gaulle, exilado durante dois anos, quando se mudou com a família, após a libertação de Paris.

Segundo Montgolfier, “foi um período muito interessante porque muitas das leis francesas foram aí assinadas, incluindo a que dá às mulheres francesas o direito de voto”.

Os membros do público poderão visitar a casa gratuitamente a partir do próximo Verão, após um extenso projeto de renovação. Crédito: Manuel Litran/Paris Match/Getty Images

Após a morte da Duquesa de Windsor, o arrendamento foi assumido por Mohamed Al Fayed, o empresário bilionário egípcio.

Montgolfier afirmou: “Al Fayed pretendia-o originalmente como um lar para o seu filho Dodi e tinha planeado um almoço de noivado para Dodi e Diana".

Mas, tragicamente, o almoço nunca teve lugar, disse De Montgolfier, uma vez que tinha sido agendado para o dia seguinte à morte do casal na cidade, em agosto de 1997.

“Há quatro anos, Mohamed Al Fayed decidiu devolvê-lo [à vila] à cidade de Paris", disse de Montgolfier.

Episódios de "A Coroa" - incluindo este da terceira temporada – reproduziram o ambiente da casa, mas foram filmados noutro local. Crédito: Des Willie/Netflix

Parte da razão pela qual a casa foi confiada à fundação está relacionada com o facto de aquela ter restaurado com sucesso o Château de Bagatelle, a poucos metros de Villa Windsor, no Bois de Boulogne.

Os trabalhos na villa, que se espera que demorem mais de um ano, incluirão a instalação de um novo sistema de aquecimento, bem como medidas para assegurar que a mesma cumpre as normas de saúde e segurança do século XXI. Haverá um café e um pequeno restaurante no local e a entrada será gratuita.

Além de um museu com uma exposição permanente detalhando a sua história, a villa renovada será também utilizada para a realização de eventos.

“É uma casa de luxo com uma grande, grande sala de jantar, um belo salão, uma biblioteca e um hectare e meio de jardins”, sublinha Montgolfier. “Fica apenas a 10 minutos da Place de l'Étoile, num local realmente fantástico”.

 

Continue a ler esta notícia