Os banhistas que se cuidem, este controverso fato de banho está de novo na moda - TVI

Os banhistas que se cuidem, este controverso fato de banho está de novo na moda

  • CNN
  • Martha Alexander
  • 16 jul, 15:00
Verão praia fato de banho sunga tanga

Dominaram as praias nos anos 70 e 80, depois saíram de moda. Agora, estão de volta.

Depois de décadas banida dos guarda-roupas convencionais, uma das peças de vestuário mais polémicas – a tanga para homem - está a tentar regressar em todo o mundo.

Há quem diga que esta peça de vestuário nunca desapareceu. As praias e piscinas na Europa (em França, em particular) são há muito um espaço seguro para os fãs do estilo “Speedo”, tal como no Brasil. As tangas são também apropriadas para nadadores, jogadores de polo aquático e mergulhadores, e são amplamente acolhidas na comunidade gay.

Mas será que as tangas (ou “sungas”, como são conhecidas no Brasil, ou “budgie smugglers”, como as chamam em grande parte do Reino Unido e da Austrália) também poderão voltar a ser apreciadas por homens que gostam de calções de banho?

A Speedo - fabricante original desta muito difamada peça de roupa de banho - argumenta que sim, informando que, em 2023, as vendas e encomendas na Europa, no Médio Oriente e em África aumentaram mais de 200% em comparação com 2022. Entretanto, nos EUA, a marca regista um aumento de 54% nas vendas de 2020 a 2021 e espera ultrapassar este valor em 2023 (a marca afirma que os dados de 2022 não são exatos devido a alterações logísticas nesse ano).

Arnold Schwarzenegger durante o 38º Festival de Cinema de Cannes em 1977. AFP/Getty Images

O ressurgimento desta peça de vestuário pode dever-se a um movimento mais amplo no sentido de proporções mais curtas na moda masculina em geral, afirmou Stephen Doig, editor de estilo masculino do jornal britânico The Telegraph. “A ascensão dos ‘shorts’ curtos foi observada na Prada e na Dior - por isso, talvez os micro calções de banho sejam uma progressão natural”, afirmou, acrescentando que o vestuário de banho para homem é um mercado “em expansão”.

“Atualmente, existe uma enorme variedade de escolha e de design no que diz respeito aos fatos de banho para homem”, afirmou Doig, o que “torna surpreendente este regresso”.

Numa entrevista por correio eletrónico à CNN, Kirsty Saddler, vice-presidente de Marketing Global da Speedo, considerou os calções Speedo “clássicos, icónicos e conhecidos em todo o mundo”, acrescentando que eles “são também muito práticos e o artigo mais leve e confortável para usar quando se nada”.

Modelos no Miami Swim Week da Art Hearts Fashion Swim em 2019 Foto Arun Nevader Getty Images

Outros comentadores atribuem o interesse renovado pelo look à prevalência contínua do estilo irónico - bigodes, Crocs, penteados “mullet”, meias com sandálias...

Nos últimos anos, a notoriedade cultural do fato de banho foi reforçada por uma lista de celebridades. Daniel Craig como James Bond em “Casino Royale” (2006). O mergulhador olímpico Tom Daley e as estrelas do futebol David Beckham e Cristiano Ronaldo. O ator Luke Evans usa-as na praia, tal como o cantor Ricky Martin e o designer de moda Giorgio Armani. O ator Zac Efron exibiu um par com as estrelas e as riscas da “liberdade” durante um anúncio no Superbowl de 2017, e a estrela de cinema Arnold Schwarzenegger é um devoto há várias décadas.

A sunga de natação da Speedo - tão famosa que se tornou a palavra de ordem para descrever todas as peças do estilo - foi a criação mais famosa do artista e designer australiano Peter Travis, que também trabalhou como oleiro, fabricante de papagaios e professor de cerâmica.

Bondi Beach, em Sidney, na Austrália, este ano. Foto Alexi Rosenfeld Getty Images

Travis juntou-se à Speedo em 1959, numa altura em que os homens usavam calções na praia - ou talvez fatos de cabana: calções estilo boxers com uma camisa a condizer. Os calções de banho mais compridos, ao estilo havaiano, estavam a ficar na moda e a empresa queria que Travis criasse algo semelhante para eles. Mas Travis tinha uma ideia muito mais pequena.

As suas cuecas de banho eram, bem, cuecas - disponíveis em larguras de 17,5 cm, 12,5 cm e 7,5 cm - quanto maior a largura, mais “modesta” era a peça de vestuário, afirmou o jornal australiano Sydney Morning Herald. Inicialmente, segundo o jornal, os homens tendiam a comprar a largura maior, mas no segundo ano os compradores optaram por uma largura média, com o estilo mais fino de 7,5 cm a dominar três anos após a sua criação. Travis disse que as suas “cuecas” não foram concebidas para excitar ou fazer uma declaração de moda (a sua perceção picante era simplesmente, segundo ele, “um bónus”). Como surfista ávido, Travis disse que a peça de vestuário era simplesmente funcional para facilitar os movimentos de quem está na água.

Nem toda a gente ficou satisfeita. A Austrália tinha uma longa história de autoridades que tentavam controlar o que os banhistas vestiam na praia: em 1907, uma proposta para que os homens legalmente usassem fatos de banho de corpo inteiro com “saias de modéstia” foi ferozmente protestada e, por fim, rejeitada. As mulheres eram especialmente penalizadas pela sua escolha de fatos de banho.

O cantor Ricky Martin é fã da “tanga”, publicando fotos suas neste estilo nas suas redes sociais. Imagem de Ricky Martin

Durante as décadas seguintes, inspetores munidos de fita métrica patrulharam as praias à procura de quem usasse fatos de banho ousados - e cenas semelhantes aconteceram também em algumas praias dos EUA, sobretudo durante a década de 1920. Em 1961, quando os Speedos foram usados pela primeira vez na praia de Bondi, em Sidney, na Austrália, a sua “escassez” fez levantar sobrancelhas, fez cair o queixo e até fez a polícia deter pessoas por exposição indecente (as acusações acabaram por ser retiradas porque os calções não revelavam pêlos púbicos).

Todo este episódio foi uma publicidade gratuita para a Speedo. As vendas explodiram a nível mundial. As tangas foram adotadas por todos os grupos demográficos, desde homens mais velhos a atletas olímpicos. Nos Jogos Olímpicos do México, em 1968, 27 dos 29 medalhados de ouro na piscina usavam fatos de banho Speedo, muitos dos quais eram o estilo de tangas pequenas da marca.

As tangas reinaram supremas durante os dias inebriantes dos anos 70 e 80, mas nos anos 90, e com o advento do grunge, os calções de banho largos reinavam na praia. Os Speedos tornaram-se cómicos - um fato de fantasia, uma relíquia, uma piada.

O mergulhador Tom Daley, da Grã-Bretanha, vencedor da medalha de ouro olímpica, durante o treino nos Jogos Olímpicos do Rio 2016. Matthew Stockman/Getty Images

Essa é uma perceção que a Speedo afirma não ser universal. “Na Austrália, por exemplo, a tanga é um dos nossos estilos mais vendidos”, afirmou Saddler, argumentando que o seu ressurgimento pode dever-se ao facto de ser um estilo versátil que funciona para todas as idades. “Uma tanga preta funciona bem num homem maduro em St. Tropez, enquanto uma tanga estampada de néon funciona numa festa na praia em Ibiza”, acrescentou.

E embora os fatos estilo “fastskin” possam agora ser o padrão para competições de natação de alto nível, “muitos nadadores de elite e de clubes optam por usar calções durante as sessões de treino, uma vez que são incrivelmente confortáveis”, disse Saddler, citando os campeões olímpicos Caeleb Dressel dos EUA e o britânico Adam Peaty.

“Há uma simplicidade em optar por um par de tangas básicas em vez de fatos de banho mais sofisticados”, disse Doig. “Não acho que se trate necessariamente de ter um corpo bonito; há uma certa majestade macho na peça de roupa (mesmo quando usada por um tipo mais cheio). Mas se as vamos usar, temos de ser realmente donos delas.”

Continue a ler esta notícia