«Não haverá prémios para administradores», diz candidato a «vice» de Pinto da Costa - TVI

«Não haverá prémios para administradores», diz candidato a «vice» de Pinto da Costa

João Rafael Koehler esteve na CNN Portugal a explicar como é que a candidatura da Lista A pretende equilibrar contas numa época sem Liga dos Campeões

Relacionados

João Rafael Koehler, candidato a vice-presidente do FC Porto pela lista «Todos pelo Porto», liderada por Pinto da Costa, esteve na noite deste sábado na CNN Portugal para explicar os planos que a candidatura reserva para o futuro do clube, particularmente na preparação de uma temporada sem os milhões da Liga dos Campeões.

O candidato, que tem o pelouro financeiro da Lista A, defende que o clube pretende cortar nas despesas, incluindo cortes nos prémios dos administradores, e, ao mesmo tempo, aumentar o volume das receitas.

«Hoje podemos dizer que vai ser muito difícil estarmos [na próxima época] na Liga dos Campeões, mas temos um plano para podermos aumentar as receitas. Vamos poupar naquilo que pudermos poupar, mas não vamos cortar demasiado. Vamos cortar nos prémios dos administradores, essa é uma das condições. Não vai haver prémios dos administradores neste mandato», começou por enunciar o represente da Lista A.

Num ano em que o FC Porto vai previsivelmente falhar a qualificação para a próxima edição da Liga dos Campeões, o clube está obrigado a procurar receitas noutros lados.

«Vamos reestruturar o grupo. Nós temos empresas a mais que se atropelem e não faz sentido temo-las, mas vamos aumentar a receita. Como? A primeira coisa é que vamos internacionalizar o FC Porto. Esse é um pecado dos clubes portugueses, são muito pouco internacionalizados. Vamos fazer um banco digital a partir do ecossistema da comunidade de adeptos que nós temos. O FC Porto terá centenas de milhares de adeptos que têm um valor muito alto, mas não é só isso», acrescentou.

O clube terá de duplicar receitas em vários setores, incluindo nas transmissões televisivas, embora isso envolva negociações muito difíceis com os operadores.

«Aquilo que ganhamos em merchandising, que é pouco mais de 5 milhões de euros, temos de multiplicar por dois. O que fazemos em hospitality vamos ter de duplicar. Vamos ter de fazer muitas outras coisas, como publicidade inversa, e há outra questão que tem a ver com as receitas de televisão. Queremos também aumentar essas receitas», destacou ainda o candidato a vice-presidente do FC Porto.

João Rafael Koehler garantiu ainda que não houve incumprimento do FC Porto no que diz respeito ao fair-play financeiro e abordou outras polémicas relacionadas com a candidatura de Pinto da Costa que poderá ver nos vídeos associados.

Continue a ler esta notícia

Relacionados