Três dos oito feridos que deram entrada esta quinta-feira no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, na sequência do incêndio na Avenida Columbano Bordalo Pinheiro, estão com prognóstico reservado, disse à Lusa fonte hospitalar.

“Três adultos receberam tratamento na câmara hiperbárica e agora estão em estado crítico, com prognóstico reservado e ventilados. Uma criança também passou pela câmara hiperbárica e encontra-se estável”, adiantou a fonte.

Em causa, precisou, está a inalação de monóxido de carbono.

"Os outros feridos são ligeiros, mas mantêm-se internados", disse.

Fonte do Hospital de São José indicou que a unidade recebeu cinco feridos ligeiros, que entretanto já tiveram alta.

Num ponto de situação ao início da manhã, a diretora do Serviço Municipal de Proteção Civil de Lisboa disse à Lusa que o incêndio que deflagrou num prédio na Avenida Columbano Bordalo Pinheiro, em Lisboa, causou três feridos muito graves - um casal e uma menina de 5 anos que estavam no elevador – e três graves.

Margarida Castro Martins precisou que foram assistidas no local 18 pessoas e que 14 foram transportadas para os hospitais de São José e Santa Maria.

Os desalojados estão a ser acompanhados e têm alternativas habitacionais em casa de familiares.

O incêndio deflagrou às 02:15 no número 108 da Avenida Columbano Bordalo Pinheiro, na freguesia de São Domingos de Benfica, num edifício misto: de escritórios até ao 5.º andar e de habitação do 6.º ao 10.º, onde residem 21 pessoas.

Segundo Margarida Castro Martins, vai ser feita uma vistoria para avaliação do estado de conservação do edifício.

Às 04:20 o fogo foi dado como extinto.

“O incêndio foi dado como extinto por etapas. É um prédio de 10 andares. O fogo começou no rés-do-chão e propagou-se através das condutas técnicas aos pisos superiores. O problema foi retirar as pessoas, tivemos de as retirar por meios mecânicos, através de autoescadas”, contou o comandante do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, Tiago Lopes.

O comandante disse que a origem do incêndio é desconhecida.

No local estiveram 87 operacionais, entre elementos dos Sapadores Bombeiros, Polícia Municipal, Bombeiros Voluntários de Lisboa, Proteção Civil, PSP e Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), com o apoio de 40 veículos.

/ AM