Primeiro encontraram a cabeça, depois o corpo. Influencer de criptomoedas foi encontrado desmembrado - TVI

Primeiro encontraram a cabeça, depois o corpo. Influencer de criptomoedas foi encontrado desmembrado

  • CNN Portugal
  • JM
  • 30 jul 2023, 17:59
fernando perez algaba

"Vou arrancar-te os olhos e cortar-te as mãos para que não possas ter mais dinheiro na tua vida". Fernando Pérez Algaba tinha várias dívidas e recebeu mensagens ameaçadoras uma semana antes de desaparecer

O corpo do influencer de criptomoedas Fernando Pérez Algaba que tinha sido dado como desaparecido na Argentina, foi encontrado desmembrado numa província perto de Buenos Aires.  

O homem, que agora vivia em Barcelona, estava de visita à Argentina, onde acabou por desaparecer. Algaba, de 41 anos, tinha alugado um apartamento durante a sua estadia e deveria ter devolvido as chaves no dia 19 de julho, avança a C5N. Era previsto regressar no dia 19 de julho a Barcelona, mas não o fez.

No dia 23 de julho um grupo de crianças encontraram uma mala vermelha com partes do corpo. As autoridades que foram ao local identificaram dentro da mala as pernas e o antebraço de Algaba, tendo um outro braço sido encontrado dias depois dentro de uma mochila num riacho próximo da área.

No dia 26 de julho as buscas levaram à descoberta da cabeça e do tronco de Algaba. A autópsia revelou que o influencer tinha sofrido três tiros antes de o corpo ser desmembrado. A precisão das amputações levou as autoridades a suspeitar do envolvimento de um profissional, sendo que a vítima foi identificada pelas impressões digitais e tatuagens distintas. 

Para já uma mulher é a única suspeita detida, depois de identificada por causa de alguns documentos encontrados na mala. As autoridades estão a considerar a possibilidade de as dívidas de Algaba terem estado na origem deste crime.

Algaba era reconhecido no mundo das redes sociais, com uma conta no Instagram com quase um milhão de seguidores. Sob a alcunha de "Lechuga", utilizava a plataforma para promover o aluguer de automóveis de luxo e investimentos em criptomoedas.

Nos últimos tempos Algaba aventurou-se no mundo do comércio de criptomoedas, operando a partir de um escritório em Buenos Aires com mais de 25 funcionários envolvidos em negociações de criptomoedas.

Para além dos seus desafios empresariais, a vida pessoal de Algaba parecia ser agitada. Os relatos sugerem que teve confrontos com o filho de um membro do grupo Barra Bravas, famoso pelas suas actividades violentas no futebol argentino. Ameaças e exigências de reembolso de um empréstimo de cerca de 36 mil euros foram documentadas numa nota encontrada no telemóvel de Algaba.

No telemóvel também foram encontradas mensagens recebidas uma semana antes de o corpo de Algaba ser encontrado: "Vou matar-te, vou fazer-te algo pior", "vou arrancar-te os olhos e cortar-te as mãos para que não possas ter mais dinheiro na tua vida", "juro pelos meus filhos que não tenho problemas em ir para a cadeia", disse um homem numa mensagem de voz ameaçadora. 

Continue a ler esta notícia