Pelo menos 13 pessoas morreram e 23 foram dadas como desaparecidas nas inundações registadas, desde sábado, em várias regiões do sul e do leste das Filipinas, disse esta terça-feira a agência de gestão de desastres naturais.

Na última atualização, a equipa de emergência filipina afirmou que cerca de 45.337 pessoas estão deslocadas das suas casas devido às inundações, que estão a afetar mais de 160 mil pessoas em numerosas cidades de todo o país.

A ilha de Mindanau, no sul do arquipélago, e o sudeste de Luzon, a ilha mais povoada, foram as áreas mais afetadas pelas fortes chuvas registadas desde o fim de semana, indicou o Serviço Meteorológico filipino.

As chuvas pararam e a água já começou a regredir, o que está a ajudar as equipas de emergência a localizar os desaparecidos.

A catástrofe marcou as celebrações de Natal na nação mais católica da Ásia, onde centenas de milhares de filipinos se deslocam dos centros urbanos para as províncias durante a época festiva.

As Filipinas estão entre as nações mais vulneráveis aos impactos das alterações climáticas.

Especialistas de agências internacionais apontaram que o mau estado das infraestruturas e as habitações precárias como um dos principais fatores para um elevado número de mortes nas catástrofes naturais registadas no país.

/ AM