Controlos sobre bens alimentares estrangeiros e multas para quem não cumprir: França tenta acalmar protestos de agricultores com novas medidas - TVI

Controlos sobre bens alimentares estrangeiros e multas para quem não cumprir: França tenta acalmar protestos de agricultores com novas medidas

  • Agência Lusa
  • BCE
  • 30 jan, 17:12

Os agricultores têm protestado há dias em toda a França para pressionar o governo a responder às suas exigências

Relacionados

O recém-nomeado primeiro-ministro de França disse esta terça-feira que o governo está a implementar controlos sobre produtos alimentares estrangeiros, a fim de garantir “concorrência leal” e apaziguar os protestos dos agricultores franceses.

No seu discurso sobre política geral na Assembleia Nacional, Gabriel Attal afirmou que “o objetivo é claro: garantir uma concorrência leal, especialmente para que os regulamentos que estão a ser aplicados aos agricultores [franceses] também sejam respeitados pelos produtos estrangeiros”.

O governante também disse que os retalhistas de alimentos que não cumprirem uma lei destinada a garantir uma parcela justa das receitas para os agricultores serão multados a partir de agora.

Os agricultores têm protestado há dias em toda a França para pressionar o governo a responder às suas exigências de melhor rendimento pelos seus produtos, menos burocracia e proteção contra importações baratas.

Com os agricultores em barricadas de protesto em redor de Paris, o governo francês espera acalmá-los com mais concessões em relação às suas queixas de que a produção de alimentos tornou-se demasiado difícil e não suficientemente lucrativa.

O novo primeiro-ministro defendeu o setor agrícola no seu primeiro grande discurso no parlamento, expondo as prioridades do seu governo. “[A agricultura é a] nossa força e nosso orgulho. Não só porque nos alimenta no sentido literal. Mas também porque constitui um dos alicerces da nossa identidade, das nossas tradições”, declarou.

A campanha dos agricultores por melhores salários, menos restrições e custos mais baixos transformou-se numa grande crise para Attal no primeiro mês no seu cargo.

Os manifestantes rejeitaram as medidas que Attal anunciou na semana passada, afirmando que eram insuficientes e o governo prometeu que mais respostas seriam divulgadas esta terça-feira.

Os agricultores em protesto cercaram Paris com barricadas congestionadas na segunda-feira, usando centenas de tratores pesados e montes de fardos de feno para bloquear estradas que levam à capital francesa, que sediará os Jogos Olímpicos de Verão dentro de seis meses.

Os manifestantes estão preparados para uma batalha prolongada, com tendas e reservas de comida e água.

O governo anunciou o envio de 15.000 polícias, principalmente para a região de Paris, para impedir qualquer tentativa dos manifestantes de entrar na capital.

Continue a ler esta notícia

Relacionados