Como um beijo indesejado provocou um escândalo no futebol espanhol - TVI

Como um beijo indesejado provocou um escândalo no futebol espanhol

  • CNN
  • Joshua Berlinger
  • 28 ago 2023, 20:00
Jennifer Hermoso e Luis Rubiales (Ver crédito na própria foto)

Ao apoiar Rubiales, a Federação Espanhola de Futebol abriu uma grande brecha entre si e os seus três parceiros mais importantes - a FIFA, o governo espanhol e os sindicatos que representam os jogadores de futebol. Resta saber se Rubiales conseguirá sobreviver à pressão para que se demita. Mas o incidente lançou uma luz sobre as questões do sexismo e do machismo em Espanha

Relacionados

Uma semana depois de a Espanha ter conquistado o seu primeiro Campeonato do Mundo de Futebol Feminino, a Federação Espanhola de Futebol está em guerra com as próprias jogadoras que trouxeram o troféu para casa.

O escândalo começou momentos depois da histórica vitória da La Roja por 1 a 0 contra a Inglaterra, quando o chefe da Federação Espanhola de Futebol (RFEF), Luis Rubiales, beijou na boca a centro-campista Jennifer Hermoso.

Rubiales, 46 anos, disse que cometeu um erro, mas que o beijo foi consensual. Hermoso, 33 anos, disse que não deu permissão e que se sentiu abusada.

Passados oito dias, os vencedores do Campeonato do Mundo de Futebol de Espanha recusam-se a jogar. A federação de futebol do país está a ameaçar com uma ação judicial. E Rubiales está a prometer "lutar até ao fim".

A RFEF convocou as federações regionais para uma reunião "extraordinária e urgente" na segunda-feira, a fim de abordar a situação atual, depois de Rubiales ter sido provisoriamente suspenso pela FIFA, o organismo que rege o futebol a nível mundial, no fim de semana.

Eis o que precisa de saber.

O que aconteceu

Após a vitória no dia 20 de agosto, a equipa espanhola fez fila para receber as medalhas e as felicitações das principais figuras políticas e futebolísticas.

Gianni Infantino, presidente da FIFA, foi o primeiro da fila. Ao seu lado, a Rainha Letizia e a Princesa Sofia. Rubiales ficou à esquerda da mais jovem das realezas. Seguiram-se o primeiro-ministro australiano, Anthony Albanese, e o ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, James Cleverly, entre outros.

A cerimónia de entrega das medalhas começou e, um a um, as campeãs foram homenageadas pela delegação. Infantino entregou as medalhas a cada jogadora. Os membros da realeza abraçaram-nos em seguida. Rubiales cumprimentou muitas delas com um grande abraço de urso e um beijo na face, chegando mesmo a levantar algumas no ar.

O início do encontro entre Rubiales e Hermoso não foi, no entanto, captado pela televisão em direto. Depois de mostrar uma das jogadoras espanholas a beijar o troféu do Campeonato do Mundo de Futebol Feminino, a transmissão passou para Rubiales a abraçar Hermoso. Os braços de Rubiales estão à volta dos ombros de Hermoso, com os de Hermoso à volta da parte superior das costas de Rubiales. Os dois balançam-se ligeiramente para a frente e para trás, e Rubiales parece dizer algo ao ouvido de Hermoso.

Rubiales coloca as mãos na nuca de Hermoso. Beija-a nos lábios e dá-lhe duas palmadas nas costas antes de continuar o cortejo.

Luis Rubiales (à direita) é visto a beijar Jennifer Hermoso de Espanha (à esquerda) durante a cerimónia de entrega de medalhas, a 20 de agosto. Eurasia Sport Images/Getty Images

O que Rubiales e Hermoso estão a dizer

Hermoso disse que em nenhum momento consentiu o beijo.

"Senti-me vulnerável e vítima de um ato impulsivo, sexista e deslocado, sem qualquer consentimento da minha parte", afirmou nas redes sociais. "Em poucas palavras, não fui respeitada".

Rubiales admitiu ter cometido um erro na segunda-feira, no dia seguinte à vitória da Espanha, mas depois defendeu as suas acções. Num discurso desafiador na sexta-feira, ele disse que o beijo foi "espontâneo, mútuo, eufórico e (feito) com consentimento".

Acrescentou que não se demitiria e que "lutaria até ao fim".

O que os outros estão a dizer

Rubiales foi fortemente criticado pelas suas acções e pode perder o seu emprego.

A FIFA abriu um processo disciplinar contra Rubiales e suspendeu-o provisoriamente de todas as actividades relacionadas com o futebol. O sindicato dos jogadores espanhóis, FUTPRO, pediu que Rubiales fosse castigado depois do beijo, enquanto o sindicato dos jogadores mundiais, FIFPRO, pediu "ação disciplinar imediata" depois do discurso de Rubiales na sexta-feira.

O presidente do Conselho Superior do Desporto de Espanha, a agência governamental espanhola que supervisiona as actividades desportivas, disse que o conselho iria tentar suspender Rubiales o mais rapidamente possível, permitindo-lhe ao mesmo tempo um processo adequado.

Em resposta à decisão de Rubiales de ficar, o vice-presidente da RFEF, Rafael del Amo, e 11 membros do programa de futebol feminino espanhol demitiram-se.

Jogadoras do clube feminino Pachuca seguram uma faixa com uma mensagem em espanhol: "Estamos contigo Jenni", em referência à jogadora Jenni Hermoso, antes do início de um jogo em Ciudad Juarez, México, na sexta-feira. Christian Chavez/AP

As jogadoras também ameaçaram boicotar as competições caso Rubiales permaneça no cargo.

Hermoso e as suas companheiras da equipa espanhola vencedora do Campeonato do Mundo disseram que não voltariam a jogar pelo país enquanto Rubiales não fosse afastado do cargo. O seu treinador, Jorge Vilda - ele próprio envolvido numa polémica depois de ter surgido um vídeo em que aparece a tocar de forma inapropriada numa funcionária durante a final do Campeonato do Mundo - considerou o comportamento de Rubiales "impróprio".

No lado masculino, o atacante Borja Iglesia disse nas redes sociais que não jogaria pela seleção nacional "até que as coisas mudem". Os vencedores do Campeonato do Mundo de Futebol Masculino, Iker Casillas e Andrés Iniesta, condenaram Rubiales, tal como o atual treinador da equipa masculina, Luis de la Fuente. Outras equipas mostraram-se solidárias.

Os jogadores do Atlético de Madrid alinham-se para uma fotografia de apoio a Jennifer Hermoso em Madrid, no sábado. Quality Sport Images/Getty Images

 

Jogadores do Sevilha vestem t-shirts de apoio a Jennifer Hermoso, no sábado, em Sevilha, Espanha. Fran Santiago/Getty Images

Os políticos também se manifestaram.

O primeiro-ministro espanhol Pedro Sanchez disse que o pedido de desculpas inicial de Rubiales era "inaceitável" e "insuficiente", enquanto a vice-primeira-ministra, Yolanda Diaz, pediu a demissão de Rubiales.

A RFEF, no entanto, está a apoiar Rubiales. Acusou Hermoso de mentir sobre o incidente e ameaçou com uma ação legal contra ela e outros.

O que vem a seguir

Ao apoiar Rubiales, a Federação Espanhola de Futebol abriu uma grande brecha entre si e os seus três parceiros mais importantes - a FIFA, o Governo espanhol e os sindicatos que representam os jogadores de futebol espanhóis.

Resta saber se Rubiales conseguirá sobreviver à pressão para que se demita.

Mas o incidente lançou uma luz sobre as questões do sexismo e do machismo em Espanha, contra as quais o sindicato dos jogadores prometeu lutar.

"O sindicato está a trabalhar para que actos como os que vimos nunca fiquem impunes, sejam sancionados e sejam adoptadas as medidas pertinentes para proteger os jogadores de futebol de actos que consideramos inaceitáveis", afirmou o sindicato na quarta-feira.

"É necessário continuar a avançar na luta pela igualdade, uma luta que as nossas jogadoras conduziram com determinação, levando-nos à posição em que nos encontramos hoje".

Tara Subramaniam, David Close, Patrick Sung, Aimee Lewis, Al Goodman, Kevin Dotson, Alex Stambaugh e Begoña Blanco da CNN contribuíram para este artigo.

Continue a ler esta notícia

Relacionados