Francisco Neto: «Criámos suficientes oportunidades para vencer o jogo» - TVI

Francisco Neto: «Criámos suficientes oportunidades para vencer o jogo»

Mundial feminino: Países Baixos-Portugal (AP)

Por sua vez, Dolores Silva admitiu que as jogadores nacionais ficaram «muito tristes» pela derrota frente à Áustria

Relacionados

Francisco Neto considerou que Portugal criou «suficientes oportunidades» para bater a Áustria, partida que acabou por perder por 2-1. 

«Tivemos lacunas em alguns momentos, mas criámos suficientes oportunidades para vencer o jogo. Fomos mais consistentes, durante os 90 minutos, em comparação com o jogo anterior. Na segunda parte, dominámos, mostrámos competência, mas não fomos felizes na finalização e é isso que temos de melhorar. A Áustria em duas aproximações fez dois golos», começou por dizer, citado pela Lusa.

O selecionador nacional confessou que há frustração na equipa tendo em conta o que fez e o resultado que obteve. «Ainda assim, mostrámos ser uma equipa com identidade, que quer sempre mais, mas saímos frustrados porque merecíamos mais do que sair sem pontos desta dupla jornada», admitiu.

«Esta é uma competição de alta exigência, traçámos objetivos ambiciosos e mostrámos que em nada somos inferiores. Todos os jogos têm sido pela diferença mínima, o e é assim que temos de continuar a crescer, sabendo que derrotas, como esta, custam muito», acrescentou ainda. 

Po sua vez, Dolores Silva disse que há tristeza na equipa nacional feminina. 

«Tínhamos analisado e corrigido alguns aspetos do primeiro jogo com a Áustria, para conseguirmos conquistar os três pontos, mas infelizmente não conseguimos e estamos muito tristes. Conseguimos ser superiores em vários momentos do jogo, mas não tivemos critério na altura da finalização, onde a Áustria foi muito mais feliz. Cabe-nos analisar, focar mais e levantar a cabeça», referiu, citada pela Lusa.

Apesar da derrota nos dois encontros com as austríacas, a jogadora apontou atenções para o objetivo que ainda está ao alcance. 

«Ainda faltam dois jogos, contra adversários fortes, o que será muito importante para os nossos objetivos. Vamos dar tudo e continuar a lutar, porque queremos continuar nesta primeira divisão da Liga das Nações e jogar com as mais fortes. Temos de dar o máximo para manter Portugal neste patamar elevado», concluiu.

Continue a ler esta notícia

Relacionados