O ministro das Infrarestruturas encontrou-se esta manhã com o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) e “está convicto” que será possível evitar uma nova paralisação dos tripulantes de cabine, que se reúnem pelas 10h00 em assembleia geral. O pré-aviso de greve prevê uma paragem de sete dias, entre 25 e 31 de janeiro.

O sindicato dos tripulantes tem marcada uma assembleia geral para esta manhã com um único ponto: “a apresentação, discussão e votação da proposta apresentada pela TAP”. Do desfecho da mesma dependerá se a classe avança para uma nova greve, depois da paralisação a 8 e 9 de dezembro. O ministro das Infraestruturas acredita que será evitada.

João Galamba esteve reunido esta manhã com a direção do SNPVAC, indica um comunicado do ministério e saiu do encontro otimista. “Perante a informação prestada pela direção do sindicato sobre o acordo alcançado, o ministro está convicto de que a Assembleia Geral do SNPVAC dará um passo decisivo para a melhoria da situação dos trabalhadores e da companhia aérea, permitindo evitar uma greve de 7 dias que causaria um grave dano à empresa“, diz a nota. O governante saudou ainda “o espírito de compromisso que permitiu chegar a um documento importante para um futuro de sustentabilidade e crescimento da TAP”.

Os tripulantes avançaram a 9 de janeiro com um pré-aviso de greve para os dias 25 a 31 de janeiro, acusando a TAP de não respeitar o Acordo Temporário de Emergência, assinado em 2021 e que introduziu um corte salarial de 25% até final de 2024, e rejeitam as condições propostas pela companhia para o novo Acordo de Empresa. A administração da transportadora aérea fez chegar já esta semana uma nova proposta, após várias rondas negociais, que vai ser submetida hoje à aprovação dos associados do SNPVAC.

A TAP está disponível para baixar o corte nos salários para, pelo menos, 20% a partir deste ano, como avançou o ECO. O salário que fica isento de cortes deverá subir dos 1.410 para os 1.520 euros, o equivalente a dois salários mínimos.

Na mensagem enviada aos trabalhadores na terça-feira à tarde, a CEO da transportadora aérea garantir estar “a trabalhar em soluções que nos permitam recompensar os trabalhadores por todos os esforços desenvolvidos e que permitam também mitigar o impacto da subida da inflação e que oportunamente serão partilhadas em primeira mão com os representantes dos trabalhadores”

(notícia atualizada às 10h10)

ECO - Parceiro CNN Portugal / André Veríssimo