Galp investe 650 milhões em biocombustíveis e hidrogénio verde em Sines - TVI

Galp investe 650 milhões em biocombustíveis e hidrogénio verde em Sines

  • ECO - Parceiro CNN Portugal
  • Mónica Silvares
  • 25 set 2023, 07:43
Refinaria de Sines da Galp (foto: divulgação)

A produção e comercialização de biocombustíveis avançados a partir de Sines é feita numa joint venture 75/25 com a Mitsui, num investimento total de 400 milhões de euros

A Galp vai investir 650 milhões de euros numa unidade de biocombustíveis e outra de eletrolisadores para produção de hidrogénio verde em Sines. Ambas as unidades vão arrancar em 2025, anunciou a Galp ao mercado esta segunda-feira.

“A Galp tomou a decisão final de investimento em dois projetos de grande escala para reduzir a emissão de carbono pegada da refinaria de Sines e dos seus produtos”, pode ler-se no comunicado publicado na CMVM. “Os projetos incluem uma unidade de biocombustíveis avançados de 270 ktpa, em parceria com a Mitsui, e 100 MW de eletrolisadores para produção de hidrogénio verde. Espera-se que ambas as unidades terão seu primeiro arranque em 2025″, acrescenta a mesma nota.

A produção e comercialização de biocombustíveis avançados a partir de Sines é feita através de uma joint venture 75/25 com a Mitsui, num investimento total de 400 milhões de euros.

“Estes projetos, dois dos maiores desta natureza, representam um investimento global de 650 milhões de euros”, revela a chairman da Galp, acrescentando que este investimento coloca “a Galp na vanguarda do desenvolvimento de soluções de baixo carbono imprescindíveis para assegurar a transição energética”.

"Estas decisões de investimento foram tomadas na expectativa de que a evolução do enquadramento fiscal e regulatório em Portugal não prejudique o sucesso destes projetos de grande dimensão, garantindo que as nossas operações industriais se mantenham competitivas a longo prazo", diz Paula Amorim.

“Estas decisões de investimento foram tomadas na expectativa de que a evolução do enquadramento fiscal e regulatório em Portugal não prejudique o sucesso destes projetos de grande dimensão, garantindo que as nossas operações industriais se mantenham competitivas a longo prazo num contexto global”, acrescentou Paula Amorim.

A unidade de biocombustíveis vai produzir diesel renovável (hydrotreated vegetable oil – HVO) e combustível sustentável para a aviação (Sustainable Aviation Fuel – SAF) a partir de resíduos usados, permitindo uma redução das emissões de gases com efeito estufa em cerca de 800 mil toneladas anuais (Scope 3, CO2e), comparativamente às alternativas fósseis disponíveis, explica a empresa no comunicado. “Esta parceria reúne a extensa experiência industrial das duas empresas, combinando as sinergias operacionais e de mercado da Galp com a presença global da Mitsui, suportando também o aprovisionamento da matéria-prima necessária para a unidade”, lê-se na mesma nota, que detalha que a fábrica vai utilizar a tecnologia da Axens. O consórcio Technip Energies/Technoedif Engenharia foi selecionado como o principal prestador de serviços de Engenharia, Procurement e Construction Management (EPCM).

Na unidade de hidrogénio verde, a “construção do eletrolisador de membrana de troca de protões (PEM) foi atribuída à Plug Power, a Technip Energies será o principal fornecedor de serviços EPCM e os “eletrolisadores serão alimentados a eletricidade renovável, através de acordos de fornecimento de longo prazo, alavancados também pela capacidade de geração renovável da Galp”.

Continue a ler esta notícia