Carlos Cunha: «Há 15 pontos para disputar e vamos lutar por eles» - TVI

Carlos Cunha: «Há 15 pontos para disputar e vamos lutar por eles»

  • Nuno Dantas
  • Estádio Cidade de Barcelos
  • 12 abr, 23:24

Treinador do Gil Vicente reconheceu a má primeira parte da equipa

Relacionados

Carlos Cunha, treinador do Gil Vicente, na sala de imprensa, após derrota por 4-0 frente ao Sporting:

«O Sporting foi a melhor equipa em campo e está de parabéns. Não fomos competentes na primeira parte. Tivemos muitas dificuldades na construção, cometemos o erro de tentar sair por zonas que sabíamos que a pressão do Sporting era muito efetiva e aos dez minutos o jogo estava praticamente fechado. Tivemos a arte e o engenho de ter a coragem de dar uma imagem diferente ao jogo e agora, em cima disto, arrancar para um final de época que vá de encontro aos objetivos do clube.

[entrada forte do Sporting surpreendeu?] Já estávamos à espera desta entrada, mas o contexto das equipas era completamente diferente. Tínhamos a expetativa de sermos mais efetivos no jogo, mas não conseguimos por mérito do adversário e por demérito nosso. Depois demos uma imagem mais real daquilo que conseguimos.

[equipa amimicamente em baixo] Nos primeiros 45 minutos tivemos um remate à baliza desenquadrado. Passamos a primeira parte muito baixo e nos momentos com bola tentávamos jogar por dentro onde o Sporting é forte. Pensamos o que fizemos de errado, tentamos fazer ajustes e pelo menos na segunda parte conseguimos dar outra imagem.

[o que disse aos jogadores ao intervalo?] Ao intervalo apelamos aos jogadores ao seu orgulho e áquilo que sabem e poderiam fazer melhor. Alguns ajustes no jogo e fazer com que a equipa acreditasse que em nossa casa tínhamos de dar uma imagem diferente. Foi uma semana difícil e no fecho da semana mais uma notícia que não nos ajudou muito.

[risco de entrar numa luta que estava longe de ser imaginável] Hoje sabíamos que era um jogo muito difícil, que o Sporting veio de uma vitória contra um adversário direto e aumentou a diferença pontual para o adversário, um ambiente de forte apoio à equipa e por isso sabíamos que o estado emocional era diferente nas duas equipas.

Era difícil somar estes pontos, temos cinco jogos para a disputa pela manutenção e temos de ser mais competentes. É evidente que a expetativa inicial era fazer um campeonato mais desafogado, mas aconteceu e, por isso, há 15 pontos para disputar e vamos lutar por eles.

[como se lida com um jogador que perde um familiar e quer ir a jogo?] Falamos com ele ontem à noite, senti da parte dele a vontade e confiança para ir a jogo. Por isso, a equipa tentou unir-se para atenuar a dor. Ele sofreu quatro golo, não teve responsabilidade em nenhum, mas foi mais uma situação que se acumulou ao restante da semana. Temos a expetativa que a partir daqui só pode melhorar».

Continue a ler esta notícia

Relacionados