Há uma nova polémica em Itália com Meloni: companheiro da primeira-ministra aconselha as mulheres a "não se embebedarem" para não serem violadas - TVI

Há uma nova polémica em Itália com Meloni: companheiro da primeira-ministra aconselha as mulheres a "não se embebedarem" para não serem violadas

  • CNN Portugal
  • PF
  • 30 ago 2023, 20:17
Andrea Giambruno (Getty)

Afirmações foram feitas durante um debate sobre dois incidentes de violações em grupo que ocorreram em Palermo e em Caivano, na região de Nápoles, e que chocaram o país

Relacionados

Há mais uma polémica a envolver uma pessoa próxima a Giorgia Meloni. Desta vez, o responsável é o companheiro da primeira-ministra italiana, o jornalista Andrea Giambruno, que sugeriu às mulheres não se embebedarem para evitar que sejam violadas.

“Se vais sair à noite, tens todo o direito de te embebedar, claro, mas se não te embebedares e perderes os sentidos, talvez evites certos problemas, porque depois podes encontrar o lobo”, disse Giambruno no programa que apresenta no canal Mediaset, Diario del Giorno.

As afirmações surgiram durante um debate sobre dois incidentes de violações em grupo que ocorreram em Palermo e em Caivano, na província de Nápoles, e que chocaram o país.

Na localidade napolitana, duas crianças de 13 anos foram violadas por um grupo de seis adolescentes. Já na cidade siciliana, uma jovem de 19 anos foi violada por sete indivíduos do sexo masculino, um deles menor de idade, após a terem embebedado. Numa troca de mensagens no WhatsApp, vários membros do grupo aparentaram reconhecer que tinham violado a jovem.

“Se eu pensar um pouco fico enojado, porque éramos cem cães em cima de um gato, só tinha visto algo assim em vídeos porno, éramos muitos. Sinceramente deixou-me um pouco enojado, mas que ia fazer eu? Carne é carne", disse um dos homens, segundo o El País.

Meloni condenou os incidentes e prometeu penas duras para este tipo de crimes, mas as palavras do seu companheiro puseram o governo italiano debaixo de fogo.

As reações mais duras vieram da principal força da oposição, o Partido Democrático (PD). Chiara Braga, porta-voz do partido na câmara baixa do parlamento, pediu a Meloni que se distanciasse dos comentários do marido.

“Não aceitamos qualquer ambiguidade. Meloni deveria distanciar-se destas palavras, que sugerem mais uma vez que às vezes a 'culpa' também é das mulheres. É inaceitável", defendeu.

Alessandro de Zan, deputado do PD, afirmou que “antes de abordar o problema em Caivano, Meloni tem de abordar o problema em casa, enquanto a senadora Cecilia d’Elia ironizou: “As agressões são sempre um bocadinho culpa delas. Não saiam sozinhas, não vão a lugares escuros, não se vistam de maneira provocatória.”

Também membros do Movimento Cinco Estrelas (M5S) e da Aliança dos Verdes e da Esquerda condenaram as palavras de Giambruno.

No entanto, o companheiro de Meloni não ficou abalado pelas críticas, classificando a polémica como “surreal”.

“Digo isto quase com um sorriso, devo salientar que ninguém neste lugar justificou os atos. Pelo contrário, foram usados ​​termos muito precisos como 'abominável' e os violadores foram chamados de 'bestas '. Portanto, todos aqueles que distorceram instrumentalmente a realidade do que eu disse fazem-no ou porque têm má-fé ou porque têm sérios problemas de compreensão”, justificou Giambruno no seu programa.

Continue a ler esta notícia

Relacionados