Terminou sem acordo a reunião entre o Sindicato de Todos os Professores (STOP) e o Governo. À saída do Ministério da Educação o líder do sindicato acusou o executivo de não ter feito quaisquer cedências, revelando mesmo que o ministro afirmou que deverão ser decretados serviços mínimos a partir de dia 1 de fevereiro.

"O ministro continua a não ver a importância desta grande mobilização uma vez que está a questionar a greve e a querer implementar serviços mínimos a partir de dia 1 de fevereiro", afirmou André Pestana.

As greves dos professores deve assim manter-se pelos próximos dias, uma vez que a Fenprof também não chegou a acordo com o Governo.

Já o Governo optou por destacar os "passos de aproximação" dados nas reuniões, com o ministro da Educação a apelar ao "fim da greve".

António Guimarães