Grupo VITA inicia ações de sensibilização e formação contra abusos na Igreja - TVI

Grupo VITA inicia ações de sensibilização e formação contra abusos na Igreja

  • Agência Lusa
  • BC
  • 10 jul 2023, 10:43
Psicóloga Rute Agulhas (Lusa/Tiago Petinga)

Formação arrancará em setembro para catequistas e professores de Educação Moral e Religiosa

Relacionados

O Grupo VITA iniciou um programa de ações de sensibilização e formação sobre abusos sexuais com várias entidades ligadas à Igreja, iniciativa que se estenderá a instituições da sociedade civil, revelou esta segunda-feira a coordenadora do grupo.

Em comunicado, a psicóloga Rute Agulhas explicou que o programa de formação começou em junho, com as Comissões Diocesanas e a Conferência dos Institutos Religiosos a responderem a um questionário para “delinear com maior precisão as ações a desenvolver” e que esse processo está agora em curso junto de catequistas e professores de Educação Moral e Religiosa Católica, com a formação a arrancar em setembro.

Já agendadas para outubro (dias 2 e 18) e novembro (dias 3 e 13) estão quatro ações de sensibilização com a Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS), com cada ação a ter duração de quatro horas e a decorrer em Fátima e em modelo híbrido. A Associação dos Profissionais Técnicos Superiores de Educação Social contou já com uma ação no passado dia 29 de junho e tem outra marcada para 28 de setembro.

Sublinhando que esta área da formação e sensibilização para a prevenção dos abusos sexuais é “um dos eixos de intervenção”, o Grupo VITA admite ainda que “mais ações de sensibilização estão a ser pensadas com a Cáritas Portuguesa, a Ordem dos Fisioterapeutas, a Ordem dos Advogados e a Direção Geral da Educação”.

O Grupo VITA pode ser contactado através da linha de atendimento telefónico (91 509 0000) ou do formulário para sinalizações, já disponível no site www.grupovita.pt.

Criado em abril, no âmbito da Conferência Episcopal Portuguesa, o grupo assume-se isento, autónomo e independente e visa acolher, escutar, acompanhar e prevenir as situações de violência sexual de crianças e adultos vulneráveis no contexto da Igreja Católica, numa lógica de intervenção sistémica.

O Grupo VITA surgiu na sequência do trabalho da Comissão Independente para o Estudo dos Abusos Sexuais de Crianças na Igreja Católica, liderada pelo pedopsiquiatra Pedro Strecht, que, ao longo de quase um ano, validou 512 testemunhos de casos ocorridos entre 1950 e 2022, apontando, por extrapolação, para um número mínimo de 4.815 vítimas.

Continue a ler esta notícia

Relacionados