Ataques no Iraque e na Síria e contra posições iranianas. Vem aí a resposta dos Estados Unidos - TVI

Ataques no Iraque e na Síria e contra posições iranianas. Vem aí a resposta dos Estados Unidos

Base norte-americana de Torre 22, na Jordânia (AP)

Altura do ataque está dependente da meteorologia

Relacionados

Estão decididos e identificados os primeiros alvos da resposta norte-americana ao ataque matou três soldados na Jordânia.

De acordo com a CBS News, que cita responsáveis com conhecimento da matéria, foram aprovados planos para ataques a serem realizados em vários dias contra alvos no Iraque e na Síria, incluindo contra posições e infraestruturas iranianas.

Uma resposta que surge como consequência do ataque à base Torre 22, onde morreram três soldados norte-americanos, mas também em resposta aos vários foguetes lançados contra forças dos Estados Unidos no Médio Oriente.

Para já a altura da resposta vai depender da meteorologia, um dos grandes fatores para definir o timing do ataque. Os Estados Unidos têm armamento capaz de realizar ataques com mau tempo e má visibilidade, mas preferem esperar um céu mais limpo para salvaguardar que não são atingidas posições civis nas áreas a serem atacadas.

Até ao momento não houve mais ataques a posições norte-americanas na zona, sendo que o grupo Kataib Hezbollah, o braço armado do Hezbollah, anunciou que ia suspender todas as operações militares nesse sentido.

Para já não é possível perceber se esse anúncio adiou a resposta dos Estados Unidos, sabendo-se que o grupo faz parte da Resistência Islâmica, um conjunto de organizações islâmicas que combatem os Estados Unidos, e do qual também fazem parte o Hamas ou outros grupos apoiados pelo Irão.

De acordo com o New York Times, que citou duas fontes do Pentágono, as defesas aéreas dos Estados Unidos não intercetaram o ataque na base militar na Jordânia porque o drone inimigo dirigiu-se para o alvo ao mesmo tempo que um drone norte-americano regressava à base.

As duas fontes do Pentágono, que falaram sob condição de anonimato, dizem mesmo que o regresso do drone de vigilância norte-americano à base de reabastecimento aconteceu ao mesmo tempo do ataque do outro drone, facto que "gerou alguma confusão" sobre se o drone que se aproximava era ou não um drone inimigo - pelo que as defesas aéreas não foram imediatamente ativadas.

Continue a ler esta notícia

Relacionados