Costa revela que quatro lusodescendentes foram mortos pelo Hamas e que quatro estão desaparecidos - TVI

Costa revela que quatro lusodescendentes foram mortos pelo Hamas e que quatro estão desaparecidos

  • Agência Lusa
  • NM
  • 18 out 2023, 19:22
António Costa no debate quinzenal (LUSA/ANTÓNIO COTRIM)

Está ainda em curso uma operação de repatriamento

Relacionados

O primeiro-ministro informou esta quarta-feira que quatro cidadãos lusodescendentes morreram em Israel e quatro estão desaparecidos, presumindo-se que estejam reféns, e indicou que o Governo está a procurar repatriar dois portugueses que estão em Gaza, assim como os seus familiares.

“Neste momento, temos identificados quatro lusodescendentes que faleceram em Israel. Temos quatro lusodescendentes desaparecidos, presumimos que sejam neste momento reféns”, indicou António Costa no debate parlamentar preparatório sobre a reunião da próxima semana do Conselho Europeu.

O chefe do executivo informou ainda que há dois cidadãos nacionais na Faixa de Gaza, “três familiares desses cidadãos nacionais e mais três familiares de palestinianos que residem em Portugal”, estando o Governo a “procurar uma operação de repatriamento de forma a que possam retomar as suas vidas em segurança em Portugal”.

Antes, durante o debate, em resposta ao PCP, António Costa defendeu que o Hamas tem o dever de “incondicionalmente libertar todos os reféns que tem em seu poder”.

O grupo islamita Hamas lançou no passado dia 07 um ataque surpresa contra Israel com o lançamento de milhares de foguetes e a incursão de milicianos armados por terra, mar e ar.

Além de ter matado centenas de pessoas em Israel, o Hamas raptou mais de uma centena de israelitas e estrangeiros que mantém como reféns na Faixa de Gaza, território que controla desde 2006.

Em resposta, Israel bombardeou a partir do ar várias infraestruturas do Hamas na Faixa de Gaza e impôs um cerco total ao território com corte de abastecimento de água, combustível e eletricidade.

Os ataques já provocaram milhares de mortos e feridos nos dois territórios.

Continue a ler esta notícia

Relacionados