Navio com bandeira portuguesa apanhado no meio da escalada de tensão no Médio Oriente - TVI

Navio com bandeira portuguesa apanhado no meio da escalada de tensão no Médio Oriente

Guardas Revolucionárias do Irão respondem a ataque israelita e ameaçam fechar a navegação no Estreito de Ormuz

Um navio com bandeira portuguesa foi capturado pelas Guardas Revolucionárias do Irão, anunciou o exército iraniano, através da agência IRNA. O MSC Aries, da Zodiac Maritime, foi intercetado no Estreito de Ormuz, entre os Emirados Árabes Unidos, na manhã deste sábado.

Tudo isto numa altura de crescente tensão no Médio Oriente, depois de ataques israelitas a posições iranianas na Península Arábica. O Irão prometeu responder e ameaçou fechar o tráfego marítimo na zona, uma das mais importantes rota de exportações da região.

A empresa britânica que opera o comércio marítimo (UKTMO) confirmou que o navio tinha sido capturado a 50 milhas náuticas (cerca de 92 quilómetros) a nordeste do emirado da Fujairah, uma zona perto do Estreito de Ormuz e que é uma das principais zonas de entrada no Golfo Pérsico.

A Ambrey, empresa britânica de segurança marítima, também relatou um incidente de "embarque" no mesmo local, mas sem dar mais indicações.

Vários websites de tráfego marítimo informaram que o MSC Aries, que navegava com bandeira portugesa, é detido em parte pelo empresário israelita Eyal Ofer.

As autoridades iranianas ainda não confirmaram oficialmente a apreensão do navio, mas a IRNA também confirmou uma ligação da embarcação a Israel, confirmando as suspeitas de que esta poderá ser uma das primeiras respostas de Teerão aos movimentos israelitas.

Os Estados Unidos, que têm acompanhado atentamente o desenrolar da tensão na zona, já garantiram estar "a par da situação reportada pela UKTMO", encontrando-se a monitorizá-la.

A apreensão do MSC Aries surge depois de o chefe da Marinha das Guardas Revolucionárias do Irão ter admitido fechar o Estreito de Ormuz. Alireza Tangsiri destacou a presença israelita nos Emirados Árabes Unidos, país que reatou relações com Telavive desde 2020, como parte dos Acordos de Abraão.

Esta poderá ser, assim, a primeira resposta aos ataques israelitas contra o consulado iraniano na Síria, a 1 de abril, que matou sete membros das Guardas Revolucionária. O Irão prometeu uma resposta rápida e tanto Israel como Estados Unidos confirmaram esperar algum ataque durante este fim de semana.

Governo acompanha situação

O Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal está a acompanhar a situação no Médio Oriente. De acordo com um comunicado do Governo, há uma "coordenação direta" entre primeiro-ministro e os ministérios dos Negócios Estrangeiros, Presidência, Defesa e Economia.

Confirma o Executivo que o navio de carga, o MSC Aries, é um pavilhão português com registo na Região Autónoma da Madeira, sendo a empresa proprietária a Zodiac Maritime Limited, com sede em Londres.

"Não há registo de cidadãos portugueses a bordo, seja tripulação ou comando", acrescenta o Governo, garantindo que está em contacto com as autoridades iranianas, "tendo pedido esclarecimentos e solicitado informações adicionais".

Continue a ler esta notícia