Exército ucraniano diz ter recapturado aldeia situada perto de Bakhmut - TVI

Exército ucraniano diz ter recapturado aldeia situada perto de Bakhmut

  • Agência Lusa
  • MJC
  • 15 set 2023, 08:03
Soldado ucraniano observa posições inimigas a partir do interior de um edifício, na cidade de Bakhmut (Getty Images)

“As Forças de Defesa tiveram sucesso parcial na área de Klichchiivka durante as operações ofensivas”, disse o Estado-Maior ucraniano

O exército da Ucrânia reivindicou esta manhã ter recapturado a aldeia de Andriivka, dez quilómetros a sul da cidade devastada de Bakhmut, na frente oriental, num dos eixos da contraofensiva contra a invasão da Rússia.

“As Forças de Defesa tiveram sucesso parcial na área de Klichchiivka durante as operações ofensivas”, disse o Estado-Maior ucraniano, no relatório diário publicado na rede social Facebook.

“Durante o ataque, libertaram Andriivka na região de Donetsk [e] infligiram perdas significativas ao inimigo em termos de pessoal e equipamento”, acrescentou.

Na quinta-feira, a vice-ministra da Defesa ucraniana, Ganna Maliar, tinha escrito na plataforma de mensagens Telegram: “Andriivka é nossa”. Uma publicação mais tarde editada, após o desmentido da unidade de assalto ucraniana no terreno.

"A declaração sobre a captura de Andriivka é falsa e prematura. Combates sérios e intensos estão a ocorrer atualmente nas áreas de Klichtchiivka e Andriivka", disse no Telegram a terceira brigada de assalto do exército da Ucrânia.

“Tais declarações são prejudiciais, colocam em risco a vida do pessoal e prejudicam a execução de missões de combate”, alertou a brigada.

Bakhmut, situada na província de Donetsk, tem sido um dos principais pontos de combate entre as tropas de Kiev e as forças de Moscovo nos últimos meses.

A Rússia, que invadiu a Ucrânia em fevereiro do ano passado, reivindicou em maio o controlo de Bakhmut após a presença no local de mercenários do grupo Wagner. Depois de abandonarem as suas posições, estes elementos transferiram o comando operacional às forças russas.

O exército ucraniano tem liderado uma contraofensiva desde o início de Junho, com o objetivo de repelir as forças russas no leste e no sul, mas enfrenta poderosas linhas defensivas compostas por trincheiras, campos minados e armadilhas antitanque.

A pressão ucraniana intensificou-se nas últimas semanas, particularmente na frente sul, com a captura da aldeia de Robotyne, em direção à cidade de Tokmak, um importante ponto logístico para as forças russas.

Kiev tem também procurado interromper as linhas de comunicação russas, tendo nas últimas semanas utilizado mísseis marítimos e aéreos e ‘drones’ para atacar bases russas na Crimeia e navios de guerra da frota russa perto da costa daquela península ocupada.

A Ucrânia reclamou na quinta-feira a destruição de um sistema de defesa antiaérea russo, avaliado em 1,1 mil milhões de euros, na Crimeia, no segundo dia de ataques com mísseis e drones consecutivos à península anexada pela Rússia em 2014.

No seu discurso diário à nação na quinta-feira, o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, felicitou a inteligência militar, o SBU, e a Marinha pelo ataque, descrevendo o sucesso da operação como “muito significativo”.

Continue a ler esta notícia