A cidade de Soledar, situada a cerca de 10 quilómetros de Bakhmut, tem sido alvo de fortes ataques russos. Os primeiros sinais do interesse nesta cidade aconteceram em agosto, aquando do início do cerco no leste da Ucrânia. Cinco meses depois, Soledar é o epicentro da guerra - e onde os ucranianos continuam a mostrar resistência.

Na terça-feira à noite, Yevgeny Prigozhin, líder do Grupo Wagner, anunciou que a força paramilitar tinha conquistado esta pequena cidade. Em apenas dois dias, Soledar foi palco de vários ataques e de um rasto de destruição que é cada vez mais notório.

Como mostram as imagens abaixo, captadas via satélite, vários edifícios habitacionais foram destruídos. Para já, não há ainda um número oficial de infraestruturas danificadas e destruídas, nem mesmo de vítimas, apesar de o Grupo Wagner garantir ter matado 500 ucranianos .

A resistência ucraniana mantém-se em Soledar e Pavlo Kyrylenko, líder da administração regional militar de Donetsk, confirma que mais de 500 civis permanecem na cidade.

Esta quinta-feira, as autoridades pró-russas da autoproclamada República Popular de Donetsk reconheceram a existência de "bolsas de resistência" ucranianas na cidade. 

Contrariando a informação que chega da Rússia, a vice-ministra da Defesa da Ucrânia, Hanna Malyar, garantiu que as tropas de Kiev ainda controlam a cidade de Soledar - embora não reste muito da cidade.

Eles (os russos) estão a passar por cima dos seus próprios cadáveres. A Rússia está a massacrar os seus aos milhares, mas estamos a aguentar”, disse, citada pela Reuters.

CNN Portugal / DCT