Quirguistão garante que não viola sanções contra Rússia e anuncia investigação - TVI

Quirguistão garante que não viola sanções contra Rússia e anuncia investigação

  • Agência Lusa
  • NM
  • 20 jul, 08:35
Tropas russas

"A República do Quirguistão cumpre estritamente as normas e regras internacionais", garantiu o comité estatal para a Segurança Nacional do país

O Quirguistão garantiu esta quinta-feira que nem o Estado nem qualquer empresa estatal violam as sanções impostas pelo Ocidente à Rússia, mas admitiu a possibilidade de empresas privadas o fazerem e anunciou uma investigação.

Na quarta-feira, meios de comunicação social norte-americanos informaram que Washington prepara medidas económicas contra o país da Ásia Central por exportar bens proibidos para a Rússia.

"Podemos afirmar que nem o próprio Estado do Quirguistão nem quaisquer estruturas e empresas estatais estão envolvidas na violação do regime de cumprimento das restrições às sanções impostas pelos Estados Unidos e pelos países ocidentais contra a Rússia", afirmou o comité estatal para a Segurança Nacional do Quirguistão.

O comité referiu, no entanto, "o possível envolvimento" de empresas privadas no fornecimento à Rússia de produtos sancionados, "possivelmente sem saber quem é o verdadeiro consumidor final e utilizador dos produtos", de acordo com o portal Tazabek, citado pela agência de notícias EFE.

Esta comissão sublinhou que lançou uma investigação para determinar e pôr termo a essas atividades através da adoção de medidas adequadas.

"A República do Quirguistão e as estruturas estatais cumprem estritamente as normas e regras internacionais", enfatizou.

As declarações foram feitas depois de o jornal The Washington Post ter publicado que os Estados Unidos estão a preparar medidas económicas contra o Quirguistão, que aumentou em 250% as exportações para a Rússia, face ao ano anterior.

Registos do início deste ano revelam que as empresas quirguizes compraram em massa, no valor de centenas de milhares de dólares, produtos eletrónicos sensíveis, incluindo semicondutores especializados e amplificadores de voltagem, a empresas chinesas e sul-coreanas, em fevereiro e março. Um número quase idêntico do mesmo tipo de produtos teriam sido exportados do Quirguistão para a Rússia durante esse período.

O Washington Post também menciona um lote de 14 drones chineses que teriam sido comprados por uma empresa do Quirguistão com a intenção de serem revendidos a uma empresa na Rússia. No entanto, estes terão sido apreendidos na alfândega pelo vizinho Cazaquistão.

O Kremlin disse, na quarta-feira, que a Rússia vai continuar a desenvolver as relações bilaterais e processos de integração económica com o Quirguistão, apesar da ameaça de sanções dos EUA contra esse parceiro e aliado.

"A economia do Quirguistão definitivamente beneficia do desenvolvimento contínuo desse processo de integração", disse o porta-voz da Presidência russa, Dmitri Peskov.

Continue a ler esta notícia