Vyacheslav Volodin, presidente da câmara baixa do parlamento russo, a Duma, é conhecido pelas suas declarações bombásticas, e a deste domingo é particularmente explosiva.

No seu canal do Telegram, o responsável político avisou o Ocidente de que pode gerar uma “catástrofe global” caso sejam fornecidas “armas ofensivas” à Ucrânia.

“Se Washington e os países da NATO fornecerem armas que serão utilizadas para atacar cidades e para tentar conquistar território russo, como ameaçam, isso levará a medidas de retaliação utilizando armas mais poderosas”, escreveu Volodin.

Frisando que a Rússia ataca “exclusivamente” alvos militares e infraestruturas críticas da Ucrânia, o grande aliado de Vladimir Putin afirma que os Estados Unidos e a União Europeia estão a conduzir o mundo para uma “guerra terrível”, e apelou aos parlamentares de Washington, Alemanha e França para se “aperceberem da sua responsabilidade perante a humanidade”.

“Dada a superioridade tecnológica das armas russas, os políticos estrangeiros que tomam tais decisões precisam de compreender que isto pode acabar numa catástrofe global que irá destruir os seus países”, alertou.

Volodin concluiu com uma ameaça velada sobre o uso de armamento nuclear. “Os argumentos de que as potências nucleares não utilizaram anteriormente armas de destruição maciça em conflitos locais são insustentáveis. Porque estes Estados não enfrentaram uma situação em que houvesse uma ameaça para a segurança dos seus cidadãos e para a integridade territorial do país”.

Pedro Falardo