"Aparentemente ter-me-ei equivocado, peço desculpa": afinal Zelensky não vem a Portugal, Santos Silva enganou-se - TVI

"Aparentemente ter-me-ei equivocado, peço desculpa": afinal Zelensky não vem a Portugal, Santos Silva enganou-se

  • CNN Portugal
  • 5 mai 2023, 13:52

Presidente da Assembleia da República anunciou que Zelensky vinha discursar ao Parlamento português. Não vem

Afinal não é o presidente da Ucrânia que vem a Portugal mas sim o presidente do parlamento ucraniano. O engano foi do presidente da Assembleia da República, que anunciou esta sexta-feira que tinha convidado o "presidente da Ucrânia" e que o convite tinha sido imediatamente aceite. Mas, afinal, o convite foi endereçado ao presidente do Parlamento da Ucrânia.

“Aparentemente ter-me-ei equivocado, peço desculpa. Evidentemente que eu fiz o convite ao presidente do parlamento da Ucrânia para estar aqui, e não ao Presidente da Ucrânia, porque eu convido presidentes de parlamento”, afirmou Santos Silva no final na reunião plenária. “Fica o equívoco sanado”, acrescentou.

No início da reunião plenária, o presidente do parlamento português tinha afirmado: “Convidei o Presidente da Ucrânia a visitar Lisboa e a dirigir-se também, em sessão plenária, ao nosso parlamento. Fi-lo, como disse, ao abrigo dos poderes que tenho, mas ciente também de que teria a imensa maioria do parlamento comigo quando formulei esse pedido, que foi imediatamente aceite”.

Só que Augusto Santos Silva referia-se, afinal, a Ruslan Stefanchuk. “A minha expectativa é que na próxima visita do presidente Stefanchuk aqui à Assembleia da República,possamos assinar um memorando de entendimento, formalizando essa cooperação”, assinalou entretanto.

Volodymyr Zelensky já discursou no Parlamento português mas por videoconferência. Na altura, o presidente ucraniano endereçou-se a vários parlamentos mundiais da mesma forma sem nunca sair do país. Entretanto, Zelenksy fez algumas viagens ao estrangeiro, nomeadamente aos Estados Unidos e Polónia e, mais recentemente, Finlândia e Países Baixos. 

Quando discursou no Parlamento português, Zelensky foi aplaudido de pé pela generalidade dos deputados. Uma das exceções foi o PCP, que se recusou a estar no hemiciclo quando o presidente ucraniano começou a discursar.

Continue a ler esta notícia