“Sentimos muito a falta disto”. Praias de Odessa abrem pela primeira vez desde a invasão russa da Ucrânia - TVI

“Sentimos muito a falta disto”. Praias de Odessa abrem pela primeira vez desde a invasão russa da Ucrânia

  • CNN Portugal
  • PF
  • 12 ago 2023, 11:41
Praia de Odessa (Getty)

Apesar da abertura, há ainda algumas limitações. As praias só estarão abertas das oito da manhã às oito da noite, e é proibido estar na água durante alertas de ataque aéreo

Relacionados

Várias praias da cidade costeira de Odessa, a quinta maior da Ucrânia, voltaram a estar oficialmente abertas, a primeira vez que tal acontece desde o início da invasão russa.

A decisão de reabrir foi tomada em conjunto pelas autoridades civis e militares da cidade, anunciou Oleh Kiper, governador da região, citado pela Reuters.

Com o eclodir da guerra, as águas ao largo de Odessa, que tem a maior base naval da Ucrânia, foram “inundadas” de minas aquáticas, para tentar dissuadir a Rússia de uma eventual investida por mar. Também o areal, diz a agência, ficou repleto de explosivos. De modo a evitar potenciais acidentes, as praias foram encerradas ao público.

Como seria de esperar, a notícia foi bem recebida pelos populares. “Sonhei muito em ir à praia e respirar o ar salgado. Sentimos muito a falta disto. Mas a segurança é a maior prioridade”, disse Svitlana, habitante de Odessa.

Apesar da abertura, há ainda algumas limitações. As praias só estarão abertas das oito da manhã às oito da noite, e é proibido estar na água durante alertas de ataque aéreo.

Todas as precauções foram tomadas. Entre dois pontões, foi colocada uma rede anti-minas, para que os banhistas não corram o risco de pisar um explosivo. “A rede vai impedir que elas passem. E as próprias minas serão visíveis a partir da costa com este tempo. Caso apareçam, os serviços de emergência serão notificados. Eles vêm cá e resolvem o problema”, disse Oleksandr, nadador salva-vidas e antigo mergulhador, à Reuters.

Continue a ler esta notícia

Relacionados