Ucrânia investiga denúncias de mulheres no Exército: dizem que estão a ser coagidas a ter relações sexuais com comandantes - TVI

Ucrânia investiga denúncias de mulheres no Exército: dizem que estão a ser coagidas a ter relações sexuais com comandantes

  • CNN Portugal
  • DCT
  • 11 ago 2023, 09:33
Vice-ministra da defesa da Ucrânia, Hanna Maliar (Associated Press)

São cerca de 60 mil as mulheres que fazem parte das Forças Armadas Ucranianas, estando cinco mil na linha da frente do combate

Relacionados

Uma denúncia bastou para a vice-ministra da defesa, Hanna Maliar, assegurar que todo e qualquer caso de assédio sexual no Exército ucraniano será levado a tribunal. A garantia surgiu depois de Nadiya Haran, com o cargo de sargento de pelotão, ter revelado que se sentiu forçada a pedir transferência depois de ter denunciado casos de assédio sexual que envolvem oficiais superiores.
Segundo o The Guardian, Hanna Maliar promete ajudar encontrar os comandantes do exército que são acusados ​​de assédio sexual e a levá-los a tribunal.

As denúncias que foram chegando revelam que as mulheres que estão no Exército são coagidas a ter relações sexuais com comandantes, caso contrário, os seus maridos e namorados são enviados para a frente de combate como consequência. Mas há mais, diz o jornal britânico: ao governo ucraniano chegaram também denúncias de ameaças de envio para unidades psiquiátricas de quem revelasse tais casos de assédio.

A vice-ministra da defesa vai agora encontrar-se com Nadiya Haran para ficar a par de todas as denúncias, prometendo proteção às mulheres que queiram revelar os seus testemunhos.

“Eu peço a todas as mulheres nas Forças Armadas que me escrevam uma declaração. Vou entrar em contato com a polícia e trazer a polícia pela mão para investigar isto. Deem-me todas as informações, entrarei em contato pessoalmente com a polícia. Estas coisas são inaceitáveis; uma mulher não pode ser tratada assim. Eu irei proteger-vos”, disse a governante.

De acordo com o The Guardian, são cerca de 60 mil as mulheres que fazem parte das Forças Armadas Ucranianas, estando cinco mil na linha da frente do combate.

Continue a ler esta notícia

Relacionados