Vice-presidente da Câmara de Idanha-a-Nova condenada a multa por falsificação de ata - TVI

Vice-presidente da Câmara de Idanha-a-Nova condenada a multa por falsificação de ata

  • Agência Lusa
  • FG
  • 17 mai 2023, 16:46
justiça (pexels)

Na leitura da sentença, a juíza explicou que o tribunal deu como provado que a ata foi forjada e que não existiu qualquer reunião

Relacionados
O Tribunal de Idanha-a-Nova condenou esta quarta-feira a vice-presidente da Câmara Municipal, Idalina Costa, que estava acusada de um crime de falsificação de documentos, a 100 dias de multa remíveis à taxa diária de 10 euros, avança a Agência Lusa.

A autarca Idalina Costa estava acusada de ter praticado este crime, quando era presidente da direção do Movimento de Apoio e Solidariedade Coletiva ao Ladoeiro (MASCAL).

O caso partiu de duas cartas anónimas e está relacionado com a ata de uma reunião em 2018, na qual constava que a autarca e ex-dirigente associativa não teve qualquer responsabilidade na contratação do seu marido, médico de profissão, para prestar serviço naquela instituição de solidariedade social.

O Ministério Público acusou ainda a arguida de ter falsificado a ata da reunião, na qual os restantes membros da direção do Movimento declaravam que Idalina Costa não tinha qualquer intervenção na contratação do seu marido.

Na leitura da sentença, a juíza explicou que o tribunal deu como provado que a ata foi forjada e que não existiu qualquer reunião.

Adiantou ainda que a ata foi feita apenas para ilibar a arguida de qualquer responsabilidade na contratação do seu marido para prestar serviço no MASCAL.

No final da sessão de leitura da sentença a vice-presidente da Câmara de Idanha-a-Nova não teceu quaisquer comentários, nem disse se vai ou não recorrer da sentença.

Continue a ler esta notícia

Relacionados