IHRU investe 51,8 milhões de euros na construção de 266 casas para arrendamento acessível em Benfica - TVI

IHRU investe 51,8 milhões de euros na construção de 266 casas para arrendamento acessível em Benfica

  • Agência Lusa
  • PF
  • 11 abr 2023, 20:04
Vistas de casas Lisboetas em Alfama (REDA&CO/Getty Images)

Em causa está o conjunto habitacional da Quinta da Baldaya, que ficará localizado entre a Estrada de Benfica, a Rua das Garridas e a Rua General Morais Sarmento, em Benfica

O novo complexo habitacional na Quinta da Baldaya, na freguesia lisboeta de Benfica, com 266 casas para arrendamento acessível, vai custar cerca de 51,8 milhões de euros, anunciou esta terça-feira o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU).

“O valor estimado da construção é de 43,579 milhões de euros + IVA [Imposto sobre Valor Acrescentado], prevendo-se que o investimento total do IHRU nesta operação, financiada no âmbito do PRR [Plano de Recuperação e Resiliência], seja de cerca de 51,8 milhões de euros, incluindo o valor do terreno”, informou o instituto público da habitação, em comunicado.

Em causa está o conjunto habitacional da Quinta da Baldaya, que ficará localizado entre a Estrada de Benfica, a Rua das Garridas e a Rua General Morais Sarmento, em Benfica, nas antigas instalações do Laboratório Nacional de Investigação Veterinária, que tem uma área de 30.287,57 metros quadrados (m2).

O projeto prevê “266 fogos para arrendamento acessível”, destinados sobretudo a habitação, mas também a comércio e serviços, indicou o IHRU.

“Serão construídos edifícios com uma superfície de pavimento máxima de 32.290,0 m2, (26.336,0 m2 habitacionais distribuídos por 266 fogos e 6.584,0 m2 para comércio/serviços), a que acrescerão pisos enterrados para estacionamento e arrecadações”, apontou.

O IHRU realçou que a construção deste empreendimento, que observará as disposições do regime da habitação a custos controlados, “permitirá o aumento da oferta de arrendamento acessível”.

Neste âmbito, o IHRU lançou um concurso de conceção, em que foram apresentados 29 trabalhos, o que resultou na atribuição de prémios a oito, num montante global de 35 mil euros.

O vencedor do concurso foi o projeto apresentado pela empresa Paulo David – Arquiteto, Lda, com coordenação do arquiteto Paulo David Abreu Andrade, que ficou em 1.º lugar e arrecadou um prémio de 8.000 euros.

Segundo o IHRU, este concurso conta com a assessoria da Secção Regional de Lisboa e Vale do Tejo da Ordem dos Arquitetos e com a colaboração do município de Lisboa.

Continue a ler esta notícia