O valor das casas calculado pelos bancos na hora de conceder empréstimos para a aquisição de habitação aumentou 29 euros em novembro, o maior salto desde janeiro de 2011, quando começa a série do Instituto Nacional de Estatística (INE), atingindo o valor recorde de 1.449 euros por metro quadrado.

O valor médio da avaliação bancária tem como base inquéritos aos bancos no âmbito da concessão de crédito à habitação. Os dados mostram uma tendência de subida que se mantém praticamente desde 2014, quando Portugal estava a sair do programa de assistência financeira da troika.

Desde então, bancos têm mostrado grande confiança nos empréstimos às famílias para comprar casa, mesmo nos tempos mais recentes marcados pela pandemia e, depois, pela turbulência da alta inflação, guerra na Ucrânia, aperto dos juros do Banco Central Europeu (BCE) e ameaça de uma recessão.

Com estes valores, uma casa com 100 metros quadrados estará avaliada pelos bancos em 144.900 euros em termos médios nacionais (e por referência) — existindo diferenças de valores de região para região e também por tipologia de habitação.

O valor atribuído pelos bancos acompanha a valorização das casas nas transações nos últimos anos. Geralmente, os bancos atribuem avaliações acima do preço a que as habitações são efetivamente vendidas. A subida dos custos das matérias-primas, nomeadamente para construção e obras nas casas, a par do aumento do custo da mão-de-obra, são fatores que podem ajudar a explicar esta evolução.

O INE revela que o número de avaliações bancárias consideradas diminuiu pelo sexto mês consecutivo, situando-se em cerca de 25,6 mil, o que representa uma redução de 13,7% face mesmo período do ano anterior e menos 22,9% que em maio último, mês em que se registou o máximo da série.

Sobe, sobe, avaliação da casa sobe

Fonte: INE

Metro quadrado no Algarve supera os 2.000 euros

Com exceção da Região Autónoma dos Açores, todas as outras regiões registaram subidas na avaliação bancária média dos bancos no mês passado. Madeira liderou as subidas: a avaliação por metro quadrado aumentou 32 euros para 1.463 euros naquela região. Mas o destaque vai para o Algarve, que superou os 2.000 euros por metro quadrado, depois de registar uma subida de 21 euros para os 2.009 euros.

Na Área Metropolitana de Lisboa a subida foi de 29 euros para 1.929 euros por metro quadrado, enquanto as regiões Norte e Centro observaram aumentos de 23 euros para 1.223 euros e 1.236 euros por metro quadrado, respetivamente.

Com o valor mais baixo, o Alentejo registou um aumento de 15 euros para 996 euros por metro quadrado. Nos Açores houve uma descida de sete euros para 1.079 euros/metro quadrado.

ECO - Parceiro CNN Portugal / Alberto Teixeira