Insolvências sobem mais de 23% em julho (estão a subir há três meses consecutivos) - TVI

Insolvências sobem mais de 23% em julho (estão a subir há três meses consecutivos)

  • Agência Lusa
  • AL
  • 7 ago 2023, 12:02
Dívidas ao fisco ou pensão de alimentos sem perdão: em 2022, foram registadas, em média, 19 insolvências por dia

Já as constituições de empresas registadas até final de julho diminuíram de 3.711 em 2022 para 3.371, menos 340 em termos homólogos, tratando-se do segundo mês consecutivo em que os valores diminuíram face ao ano passado

Relacionados

As insolvências aumentaram mais de 23% em julho face ao período homólogo de 2022, confirmando a tendência de subida que se regista desde maio, e as constituições de empresas caíram 9%, segundo dados da Iberinform, divulgados esta segunda-feira.

“O mês de julho fechou com um total de 286 insolvências, mais 54 que no mês homólogo do ano passado, o que confirma a tendência de subida que se regista desde maio deste ano, com aumentos de 21%, 28% e 23%, respetivamente”, divulgou a empresa de gestão de risco, em comunicado.

Já as constituições de empresas registadas até final de julho diminuíram de 3.711 em 2022 para 3.371, menos 340 em termos homólogos (-9,2%), tratando-se do segundo mês consecutivo em que os valores diminuíram face ao ano passado.

Contudo, no acumulado, verifica-se que nos primeiros sete meses de 2023 foram já criadas 30.405 novas empresas, total que supera os parciais de 2022 (+4,1%) e 2021 (+24%).

Face a 2022, as declarações de insolvências requeridas por terceiros aumentaram 20% nos primeiros sete meses de 2023 (mais 75 pedidos), enquanto as declarações de insolvência apresentadas pelas próprias empresas cresceram 13% (mais 48 apresentações).

Os encerramentos com plano de insolvência diminuíram 8% face ao mesmo período do ano passado, com um total de 23 ações, a mesma percentagem de decréscimo registada no encerramento de processos, que baixaram de 1.552 para 1.429.

O acumulado das ações registadas até final de julho ascendeu a 2.341 insolvências, menos 0,1% que em igual período de 2022.

Os distritos de Lisboa e do Porto apresentaram os valores de insolvências mais elevados, 550 e 515, respetivamente, enquanto Vila Real, Faro e Leiria registaram os aumentos mais significativos (53%, 35% e 34%, respetivamente).

Já o número de constituições mais significativo registou-se no distrito de Lisboa, com 10.293 novas empresas criadas até final de julho deste ano (+2,9% face a 2022), seguido pelo distrito do Porto com 5.088 (+3,9%).

Por sua vez, os distritos da Horta, Angra do Heroísmo e Bragança registaram os decréscimos nas constituições mais significativos, com descidas de 27%, 24% e 15%, respetivamente.

Continue a ler esta notícia

Relacionados