Veríssimo desanimou no Benfica: «Nunca fazia rotatividade» - TVI

Veríssimo desanimou no Benfica: «Nunca fazia rotatividade»

Lucas Veríssimo

A companheira do jogador, Amanda Farias, recordou o dia em que o central se lesionou com gravidade e deixou um reparo a Roger Schmidt

Relacionados

Depois de recuperar de uma grave lesão, Lucas Veríssimo perdeu o estatuto de titular no Benfica. O internacional canarinho não fez parte das primeiras escolhas de Roger Schmidt depois da longa recuperação devido a um problema num joelho sofrido no jogo conta o Sp. Braga, na época 2021/22. 

A companheira do futebolista recordou o dia 7 de novembro e relatou tudo o que sentiu a partir da bancada da Luz.

«Todos os que estavam no camarote e viram na televisão começaram a olhar para mim e a dizer-me que sentiam muito. Na altura em que eu revi o lance, desabei. O pessoal do Benfica veio apoiar-me, levaram-me até ele e foi um momento de muita tristeza e dor. Chorava todos os dias ao vê-lo naquele estado, parecia o fim. Nunca mais usei a roupa desse jogo», relembrou Amanda Farias, em entrevista ao UOL Esporte.

«O Samuel entendia bem melhor. À Mirella, o Lucas mostrava a cicatriz e dizia que tinha "dói-dói". Ele tinha de ficar com a perna imóvel. Para a Mirella ele caiu e ficou magoado. O Samuel entendeu que era algo mais grave. A fisioterapia era na sala, as crianças ficavam por perto para segurar a mão dele e diziam que dariam um beijo para sarar», acrescentou.

António Silva e Otamendi assumiram-se como titulares nas águias e o defesa ex-Santos deixou de ser opção, tendo perdido o estatuto de terceiro central para Morato. Veríssimo acabou por participar apenas em seis jogos fruto da gestão feita por Schmidt.

«Vês que o teu marido já está a 100 por cento, já deixou de ir ao Mundial por falta de oportunidade de entrar em campo e que o técnico não fazia rotatividade de jogadores... Acaba por ser desanimador», defendeu.

Amanda Farias frisou que a «dor sempre fez parte» da vida de Lucas Veríssimo e deixou-lhe elogios pelas exibições recentes ao serviço do Corinthians, clube que o recebeu por empréstimo do Benfica.

«O Lucas diz que não tem medo de se lesionar novamente e que as lesões fazem parte do trabalho. Aliás, ele considerou todas as propostas que chegaram, mas é inviável trabalhar com um clube que não confiava no processo de rcuperação dele. O Corinthians trouxe-nos segurança, explicaram-nos o plano e o Lucas sentiu-se muito tranquilo e confortável para voltar ao Brasil. O resultado está aí: o Lucas é titular e está a destacar-se pela postura que sempre teve. É um tipo com muito sangue nos olhos. Tinha a certeza que ele seria craque aqui», concluiu.

 

Continue a ler esta notícia

Relacionados