Deco: «Hoje não teria estado cinco anos no FC Porto» - TVI

Deco: «Hoje não teria estado cinco anos no FC Porto»

Deco (Getty)

Diretor desportivo do Barça abordou a saída de Xavi, considerou «mentira» que Guardiola tenha feito uma revolução no clube e explicou a dificuldade do mercado atual

Relacionados

O diretor desportivo do Barcelona, Deco, confessou publicamente ter ficado surpreendido com a decisão de Xavi em deixar o clube.

«Não esperava. Estou com ele diariamente e levávamos semanas a planear as chegadas de jogadores como foi o caso do Vítor Roque ou a refletir sobre se teríamos de contratar alguém por causa da lesão do Baldé. Nunca pensei isso [que iria sair]. Falámos sobre a próxima época», partilhou, em entrevista ao «La Vanguardia».

O ex-internacional português sublinhou ainda que «foi Xavi quem quis um contrato mais curto» e revelou que já está à procura do seu sucessor. Questionando se Guardiola era o melhor treinador possível, Deco respondeu de forma particular.

«Fala-se de uma grande revolução quando Guardiola chegou ao Barcelona e isso é uma grande mentira. Eu e o Ronaldinho saímos, mas estavam Xavi e Iniesta, além do Busquets que subiu [à primeira equipa], Yaya Touré, que foi o melhor jogador africano do ano, o Eto'o e o Messi, claro. Guardiola foi inteligente e quando chegou colocou ordem e a sua qualidade como treinador até construir a melhor equipa que vi na minha vida. Soube não perder tempo com outras coisas», atirou.

De seguida, Deco sublinhou as diferenças do mercado de transferências atual para o que existia há duas década e lembrou que, ao contrário do passado recente, há clubes com outro poderio financeiro.

«Gostava de contratar Ronaldinho, Eto'o e inclusive o Deco. Mas não existem nem estão no mercado. Os tempos e o próprio futebol mudaram. Hoje nunca poderia ter assinado pelo Barça. Não teria estado cinco anos no FC Porto. Nem o Samuel [Eto'o] no Maiorca à espera do Barça. Por muito que quisesse, teria tantas ofertas de inúmeros clubes que o FC Porto cobraria muito mais e seria muito mais difícil», disse.

«Quando o Barça ia ao mercado há 20 anos tinha a concorrência de Real Madrid, Manchester United e pouco mais. Hoje em dia todas as equipas da Premier League têm capacidade para contratar. E há o PSG. Não existia um City tão potente como o atual. As equipas organizam-se melhor e os jogadores podem escolher entre mais clubes. Mas o Barcelona continua a ter poder, podemos seduzir os jogadores e temos capacidade para trazer jogadores importantes», acrescentou.

Continue a ler esta notícia

Relacionados