«Razões éticas»: clube recusa oferta da Rússia por jogador em final de contrato - TVI

«Razões éticas»: clube recusa oferta da Rússia por jogador em final de contrato

Sassuolo surpreende Milan em San Siro

O CEO do Sassuolo frisou que os italianos não vão negociar com clubes russos

O CEO do Sassuolo, Giovanni Carnevali, anunciou que o emblema italiano não negoceia jogadores com clubes russos por «razões éticas». O dirigente italiano revelou que recebeu uma oferta do Spartak Moscovo no valor de oito milhões de euros por Rogerio, jogador que está em final de contrato, mas que decidiu recusar.

«As negociações foram conduzidas pelo empresário. Houve uma oferta de oito milhões de euros, mas considerámos tudo e decidimos não avançar. Por razões éticas, não quisemos negociar com um clube russo», começou por dizer em entrevista à Gazzetta dello Sport.

«Queremos estar de consciência tranquila e não fazer negócios com um determinado país. O Rogério está no mercado e corremos o risco de perdê-lo a custo zero. Mas a escolha foi de uma natureza diferente. Se chegarem ofertas de outros clubes, iremos avaliá-las», acrescentou Carnevali.

Há dirigentes para quem o dinheiro não é tudo, não é?
 

Continue a ler esta notícia