Portugal é o oitavo país da UE que menos investe em investigação e desenvolvimento - TVI

Portugal é o oitavo país da UE que menos investe em investigação e desenvolvimento

  • ECO - Parceiro CNN Portugal
  • Joana Morais Fonseca
  • 6 ago 2023, 18:00
Cientistas (Getty Images)

Em 2022, as dotações orçamentais dos governos europeus para investiga e desenvolvimento ascenderam a 117.368 milhões de euros. Dotação mais elevada foi registada no Luxemburgo, seguida pela Dinamarca

Relacionados

Em 2022, os governos europeus alocaram 117,36 mil milhões de euros para investigação e desenvolvimento (I&D), o equivalente a 0,74% do PIB, segundo os dados divulgados esta sexta-feira pelo Eurostat. Portugal é o oitavo Estado-membro que menos verbas aloca para esta rubrica.

No ano passado, as dotações orçamentais dos governos europeus para investigação e desenvolvimento ascenderam a 117.36 mil milhões de euros, isto é, um aumento de 5,4% face ao período homólogo (111,39 mil milhões). Já se a comparação for feita com 2012 trata-se de um aumento de 49,2% (era de 78.65 mil milhões).

Contas feitas, em 2022 os governos europeus disponibilizaram, em média, 262,70 euros por pessoa para investigação e desenvolvimento, o que representa uma subida de 47,2% face a 2012 (178,50 euros por pessoa). Entre os Estados-membros a dotação mais elevada foi registada no Luxemburgo (661,60 euros por pessoa), seguida pela Dinamarca (529,10 euros por pessoa) e pela Alemanha (517,60 euros por pessoa).

Quanto a Portugal, está entre os países que menos investe, com a dotação nacional a ser a oitava mais baixa a nível da UE (77,40 euros por pessoa). No fim da tabela está a Roménia (17,60 euros por pessoa), seguida pela Bulgária (27,30 euros por pessoa) e a Letónia (49,6 euros).

De acordo com o Eurostat, na última década, isto é, entre 2012 e 2022, todos os governos da UE aumentaram as suas dotações para investigação e desenvolvimento por pessoa. Os maiores aumentos foram registados na Letónia, com um disparo de 208% (passou de 16,10 euros por pessoa em 2012 para 49,6 euros por pessoa em 2022), seguida pela Grécia, com um aumento de 129% (passou de 66 euros para 151,20 euros por pessoa). Em contrapartida, a Suécia foi o país que menos investiu durante este período, tendo registado um aumento de apenas 4% (passou de 377,7 euros por pessoa em 2012 para 391,6 euros por pessoa em 2022), mas porque é já um dos países que mais investe nesta área.

No que concerne às diversas áreas de I&D, a maior parcela foi para o avanço geral do conhecimento financiado na grande maioria por uma dotação pública conhecida como fundos universitários públicos gerais, representando 35,5% do montante investido em 2022 pelos governos europeus em I&D.

Continue a ler esta notícia

Relacionados