Temperaturas baixam esta semana (mas no Algarve não) - TVI

Temperaturas baixam esta semana (mas no Algarve não)

  • CNN Portugal
  • FG
  • 17 jul 2023, 19:57

Enquanto vários países da Europa estão a bater recordes de temperaturas, com os termómetros a ameaçar os 48 graus Celsius em Itália, prevê-se que em Portugal “as temperaturas máximas deverão estar abaixo da média para a época”, exceto no Algarve

Relacionados

Ao longo desta semana, as temperaturas máximas em Portugal não só vão baixar, como "deverão estar abaixo da média para a época”. Ainda assim, prevê-se que as regiões com as temperaturas mais elevadas sejam a Beira Interior e o Algarve. Este último está até sob aviso amarelo devido ao calor.

“Céu pouco nublado ou limpo, embora com nebulosidade matinal, no litoral a norte do Cabo Raso (em Lisboa) até ao meio da manhã” é o que aponta a previsão de tempo, para esta semana, em Portugal Continental, avança a mateorologista Maria João Frada, do Instituto do Mar e da Atmosfera (IPMA). Além disso, “o vento predomina de noroeste e soprará, por vezes mais forte, na faixa costeira ocidental e nas terras altas durante as tarde e inícios de noite (ao longo desta semana)”, fazendo prever a diminuição das temperaturas máximas, acrescenta. 

Já esta terça-feira, as temperaturas vão baixar entre os 3 e 6 graus Celsius, “com exceção da costa sul do Algarve”, afirma a especialista. 

No dia 20 de julho, esta quinta-feira, prevê-se novamente “uma pequena descida dos valores da temperatura máxima, entre 2 a 5 graus Celsius, com a exceção da costa sul do Algarve”, avança a meteorologista. “As zonas do território do continente onde se prevê valores mais elevados de temperatura máxima são o Algarve e o Baixo Alentejo, onde os valores da temperatura máxima deverão variar aproximadamente entre 33 e 37 graus Celsius”, diz a especialista, que relembra o aviso amarelo, emitido pelo IPMA, de tempo quente para a região do Algarve. 

Importa salientar que “as temperaturas máximas deverão estar abaixo da média, para a época, no resto da semana”, expõe a especialista. Por um lado, “Portugal continental será invadido por uma massa de ar tropical marítimo, mais fresca e húmida, que será responsável pela descida dos valores da temperatura máxima”, por outro “a entrada de nebulosidade matinal a litoral a norte do cabo raso” também contribui para a redução da temperatura. A região do Algarve é a única que não sentirá os efeitos desta corrente, explica Frada. 

Quando questionada acerca do risco dos incêndio em Portugal ao longo desta semana, a especialista declara que o risco “está muito elevado a máximo” e “vai continuar todos os dias durante a semana”. O risco é afetado por vários fatores como “vento, humidade e secura de terreno”, esclarece. Assim, o risco de incêndio está espalhado “no interior norte e centro, Algarve e Alto Alentejo”, uma vez que “está calor, o vento vai-se intensificar, não há chuvas e a humidade relativa baixa, que se faz sentir no interior, durante as tardes, faz aumentar o perigo”, dá conta a especialista. 

Outro fator natural a ter em conta é o da radiação ultravioleta, que em todo o território de Portugal continental se prevê que continue a atingir o índice muito elevado, até esta quarta-feira. Em virtude do perigo que os raios representam para a população, visto que contribuem para a “formação de uma queimadura na pele humana”, o IPMA aconselha a utilizar “óculos de Sol com filtro UV, chapéu, t-shirt, guarda-sol, protetor solar e evitar a exposição das crianças ao Sol”, lê-se no site

Continue a ler esta notícia

Relacionados