Jornalista iraniano esfaqueado em Londres, canal aponta o dedo à Guarda Revolucionária do Irão - TVI

Jornalista iraniano esfaqueado em Londres, canal aponta o dedo à Guarda Revolucionária do Irão

  • CNN Portugal
  • JAV
  • 30 mar, 12:24
Jornalista da TV Iran International Pouria Zeraati atacado em Londres

"Escala dos interrogatórios cada vez mais agressiva", denuncia porta-voz da estação televisiva Iran International. "Digam aos vossos familiares que parem de trabalhar para este canal"

A Guarda Revolucionária do Irão tem estado a perseguir e a interrogar pessoas ligadas a funcionários do canal de língua persa Iran International, denunciou um porta-voz da estação televisiva este sábado, na sequência de um ataque a um dos seus jornalistas em Londres.

Pouria Zeraati foi esfaqueado à porta da sua casa em Wimbledon na sexta-feira à noite por um grupo de homens. Chamada ao local, a polícia metropolitana confirmou ter encontrado um homem na casa dos 30 anos com ferimentos numa perna, que foi transportado para o hospital mais próximo.

Segundo o porta-voz do canal Iran International, Adam Bailie, em declarações à rádio BBC este sábado, Zeraati encontra-se internado em situação estável. Nenhum suspeito do ataque foi detido até ao momento.

O canal televisivo, adianta Bailie, tem estado "sob duras ameaças" das autoridades iranianas "nos últimos 18 meses", com as famílias dos seus jornalistas e pivots que vivem no Irão "a serem levadas para interrogatório".

A escala desta perseguição tem estado a aumentar nos últimos meses, garante a mesma fonte, e "a escala dos interrogatórios é cada vez mais agressiva", com elementos da Guarda Revolucionária a avisarem: "Digam aos vossos familiares que parem de trabalhar para este canal."

Citado pelos media britânicos, o comandante da polícia Dominic Murphy, que lidera a unidade de combate ao terrorismo da polícia londrina, disse que, "apesar de estarmos a manter uma mente aberta, dada a ocupação laboral da vítima e as nossas preocupações públicas quanto a ameaças a funcionários daquela organização [Iran International], a investigação está a ser liderada pelo comando anti-terrorismo".

"Devo sublinhar que, nesta fase precoce da investigação, não sabemos qual o motivo do ataque a esta vítima", adiantou Murphy, sublinhando que "pode haver uma série de explicações para isto".

Fundado em 2017 e sediado em Londres, o Iran International destina-se sobretudo a um público iraniano e, segundo inquéritos independentes citados pelo Guardian, é o canal de notícias mais visto no Irão.

Ao longo dos anos, o canal tem feito a cobertura de uma série de tópicos incómodos para o regime iraniano, nomeadamente violações de direitos humanos no Irão. Em fevereiro de 2023, o canal viu-se forçado a deslocar a sua base de operações para Washington DC após uma série de ameaças a vários jornalistas, tendo regressado a Londres em setembro.

Continue a ler esta notícia